A Dinâmica Dos Grupos Em Alta

O futuro pertence a organizações embasadas em grupo, e a organização que pretende crescer, dentro de um mercado que está vivenciando uma competição cada vez mais acirrada, naturalmente necessita passar por uma reestruturação, aprendendo a encarar seus funcionários como verdadeiros participantes de um processo de crescimento e sucesso, e não mais como meros executores de tarefas.

Encarar o indivíduo como um conjunto de corpo e mente é essencial e, por esse motivo, a tendência de trabalhar em equipe é cada vez maior. Uma alternativa que vem sendo largamente utilizada em programas de desenvolvimento dessas equipes é a dinâmica dos grupos, também chamada de ciência dos microgrupos. Essa ciência surgiu, nos anos 40, como um campo de pesquisas, dedicado ao conhecimento progressivo dos pequenos grupos, das leis de seu desenvolvimento e suas inter-relações com indivíduos e organizações.

É legitimo esperar um mutirão de esforços organizados para capacitar coordenadores, habilitando-os adequadamente para manejar as difíceis e imprevisíveis situações em que se defrontam os que ousam coordenar grupos organizacionais.

A diferença mais marcante entre a dinâmica de grupo e os treinamentos convencionais é que na dinâmica a atividade é desenvolvida enfocando o próprio grupo, e não o facilitador, que passa a ser encarado como um recurso que o grupo possui para entender seu processo de evolução. “O objetivo da dinâmica de grupo é promover, através de métodos andragógicos e levando em conta o conhecimento e experiência dos participantes do grupo, o crescimento e o desenvolvimento nos planos individual e grupal”.

As principais vantagens encontradas com o desenvolvimento da dinâmica dos grupos, além de maior integração entre os participantes, são a possibilidade de redução do individualismo e maior canalização da energia, antes usada em ações competitivas, para ações de colaboração.

São claras as mudanças que ocorrem no que diz respeito à auto-estima, autoconfiança e consciência de potencialidades, aos que participam em atividades grupais quando são trabalhados adequadamente os processos que ocorrem e as relações entre os membros.

Trabalhar com a dinâmica dos grupos requer preparo dos facilitadores para que estes tenham conhecimentos de como utilizar seus recursos pessoais e como aperfeiçoá-los, visando o melhor desenvolvimento grupal. Nesse sentido, proliferam as “intervenções do gênero” através daqueles que se contentam com o “uso” da técnica somente, isto é, a técnica é aplicada.

Sua análise, porém, vem desacompanhada da compreensão dos processos e fenômenos grupais. Essa prática, advinda normalmente de quem não tem uma formação específica, muitas vezes coloca à mercê de ações que carecem de fundamentação teórica e vivencial por parte do coordenador. Isto pode ser etéreo ou até danoso, à medida que não corresponde aos padrões técnicos e éticos recomendáveis ao trabalho com grupos.

“A dinâmica dos grupos ajuda e alerta para a importância do trabalho coletivo, mostrando que é preciso conhecer as limitações, habilidades e comportamentos de cada um para se trabalhar com êxito em busca de objetivos comuns”.

O trabalho interativo é o caminho do futuro, e o sucesso depende, cada vez mais , das ações grupais, sejam elas denominadas equipes, times ou outros rótulos similares.

A dinâmica de grupo, além de ser utilizada para a formação de equipes, pode ser empregada na administração de conflitos, integração inter departamental, no desenvolvimento de habilidades de líderes ou facilitadores ou mesmo como forma de reciclagem, evitando acomodações e resistências às imprescindíveis inovações.     Doralício Siqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *