A Matemática A Serviço Da Gestão

O advogado não é afeto a matemática, adora ganhar honorários, mas na maioria da vezes esquece de como é fundamental saber quanto custa o seu negócio.

Diante desta realidade, ele se apega a valores menores (processos por exemplo, que são o intermediário entre a razão – que é o cliente – e o resultado – que são os honorários) e deixa os processos internos literalmente acabarem com a sua lucratividade.

Dois importantes gastadores de honorários dos advogados são o custo dos clientes perdidos e a rotatividade dos funcionários.

Para ajudar a compreender, colaciono um trecho de uma reportagem que explica matematicamente o porque que você deve investir em gestão para não perder dinheiro.

Vejamos:

Calculando o custo de um cliente perdido

Você sabia que conquistar um novo cliente é cerca de 5 vezes mais caro do que reter um novo? E que aumentando em apenas 5% a retenção dos clientes você eleva o lucro da empresa entre 25% e 85%?

O clássico livro “Administração de Marketing” propõe um cálculo baseado no seguinte: <b>qual seria o lucro daquele cliente se ele continuasse comprando da nossa empresa?</b>. Consideremos o seguinte exemplo:

Nº de clientes: 64.000
Clientes perdidos no último ano: 3.200 (5%)
Valor do cliente em um ano: $40.000
Margem de lucro por cliente: $4.000 (10%)
3.200 x 4.000 = $12.800.000 (faturamento)

Kotler pondera que, se o cliente for perdido de forma precoce, a perda financeira é ainda maior. Feito esse cálculo, é preciso calcular o custo para reduzir a taxa de abandono, se o custo dessa redução for menor (de $12.800.000, nesse caso), então deve-se investir o mesmo valor em ações.

Com menos clientes, é preciso prospectar novos, então utilizando a mesma matemática de 1ª grau do Kotler, vamos calcular o custo dessa prospecção.

Custo médio da visita de um vendedor (salário, comissão, benefícios, despesas): $300
Nº de visitas para convencer um cliente em potencial em cliente real: 4
4 x 300 = $1.200
* considere custos de impressos, propaganda e planejamento.

Os exemplos acima podem ser simples demais, mas o conceito é aplicável e a empresas de qualquer tamanho ou segmento.

Calculando o custo do turnover

Turnover e má contratação são dois sangramentos que prejudicam tanto a reputação como o financeiro das empresas. Segundo o site de  empregos CareerBuilder, dois terços das empresas contrataram mal no último ano e gastaram de $20 a $50 mil dólares em cada má-contratação. Na Zappos, estima-se que a empresa gastou mais de $100 milhões em má contratação até hoje. A pressa para preencher a vaga é o motivo principal tanto para a Zappos como para a CareerBuilder. Quanto ao turnover, os motivos são os mais variados possíveis, chefes incompetentes, pouca oportunidade de crescimento, baixo salário e benefícios, falta de comunicação, etc.

Seja qual for o motivo do alto giro de funcionários, empresas pagam alto preço por isso. Calcular o turnover é mais complexo, mas há várias ferramentas na internet que facilitam o trabalham. Basicamente, a matemática envolve o seguinte:

  • Custo dos anúncios de emprego
  • Custo das horas trabalhadas dos profissionais de RH
  • Custo das horas destinadas a entrevistas dos profissionais de RH x Nº de entrevistadores
  • Perda em produtividade x tempo da vaga em aberto + período de adaptação
  • Custos de remanejamento de funções (enquanto não se contrata)
  • Horas de treinamento do novo funcionário
  • Custos de contratação + demissão e outros
Fonte: http://www.pequenoguru.com.br

Ainda não se convenceu? Realmente a matemática não é o seu forte.

Agora, está comprovado que não vale a pena ter grande rotatividade de funcionários e deixar de investir em atendimento e canais de reclamação.

Quanto mais contato tivermos com o cliente, quanto mais ouvirmos nosso cliente interno, quanto mais investirmos em tecnologia para termos processos internos mapeados, desenhados e organizados, mais economizamos e desta forma, nos tornamos mais competitivos.

Não espere o dinheiro acabar para fazer mudanças. Faça seus cálculos e aja logo.

Quando o dinheiro acabar, não haverá no que investir.

E você que pensou que a matemática não era útil, hein?

 

Artigo escrito por Gustavo Rocha Sócio da GestãoAdvBr – Consultoria em Gestão e Tecnologia Estratégicas  Sócio da Bruke Investimentos
www.gestao.adv.br |http://www.bruke.com.br Contato integrado: gustavo@gestao.adv.br [Email, Skype, Gtalk, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *