A VIAGEM- Pontos de vista de George Carlin sobre Envelhecer

4

Aprecie a viagem; não há bilhete de volta!

Você sabia que a única época da nossa vida em que gostamos de ficar velhos é quando somos crianças?

Se você tem menos de 10 anos, está tão excitado sobre envelhecer que pensa em frações:

– Quantos anos você tem?

– Tenho quatro e meio!

Você nunca terá trinta e seis e meio. Você tem quatro e meio, indo para cinco! Este é o lance!

Quando você chega à adolescência, ninguém mais o segura. Você pula para um número próximo, ou mesmo alguns à frente:

– Qual é sua idade?

– Eu vou fazer 16!

Você pode ter 13, mas (tá ligado?) vai fazer 16!

E aí chega o maior dia da sua vida!  Você completa 21! Até as palavras soam como uma cerimônia:

VOCÊ ESTÁ FAZENDO 21. Uhuuuuuuu!

Mas então você ‘se torna’ 30. Ooooh, que aconteceu agora? Isso faz você soar como leite estragado:

“Ele ‘se tornou azedo’; tivemos que jogá-lo fora!” Não tem mais graça agora, você é apenas um bolo azedo.O que está errado?  O que mudou?

Você COMPLETA 21, você ‘SE TORNA’ 30, aí você está ‘EMPURRANDO’ 40.   Putz! Pise no freio, tudo está derrapando!

Antes que se dê conta, você CHEGA aos 50 e seus sonhos se foram.

Mas, espere! Você ALCANÇA os 60. Você nem achava que poderia!

Assim, você COMPLETA 21, você ‘SE TORNA’ 30, ‘EMPURRA’ os 40, CHEGA aos 50 e ALCANÇA os 60.

Você pegou tanto embalo que BATE nos 70! Depois disso, a coisa é na base do dia-a-dia: ‘Estarei BATENDO aí na 4ª. feira!’

Você entra nos seus 80 e cada dia é um ciclo completo; você bate no lanche, a tarde se torna 4:30;  você alcança o horário de ir para a cama. E não termina aqui. Entrado nos 90, você começa a dar marcha-à-ré: ‘Eu TINHA exatos 92′.

Aí acontece uma coisa estranha. Se você passa dos 100, você se torna criança pequena outra vez: ‘Eu tenho 100 e meio!’

Que todos Vocês cheguem a um saudável 100 e meio!!

Como permanecer jovem

– Livre-se de todos os números não-essenciais. Isto inclui idade, peso e altura. Deixe os médicos se preocupar com eles.

É para isso que você os paga.

– Mantenha apenas os amigos alegres. Os ranzinzas só deprimem.

– Continue aprendendo. Aprenda mais sobre o computador, ofícios, jardinagem, seja o que for, até radio-amadorismo. Nunca deixe o cérebro inativo. ‘Uma mente inativa é a oficina do diabo’. E o nome de família do diabo é ALZHEIMER.

– Aprecie as coisas simples.

– Ria sempre, alto e bom som! Ria até perder o fôlego.

– Lágrimas fazem parte. Suporte, queixe-se e vá adiante.  As únicas pessoas que estão conosco a vida inteira somos nós mesmos. Mostre estar vivo enquanto estiver vivo.

– Cerque-se daquilo que ama, seja família, animais de estimação, coleções, música, plantas, hobbies, seja o que for.

Seu lar é seu refúgio.

– Cuide da sua saúde: se estiver boa, preserve-a. Se estiver instável, melhore-a. Se estiver além do que você possa fazer, peça ajuda.

– Não ‘viaje’ às suas culpas. Faça uma viagem ao shopping, até o município mais próximo ou a um país no exterior, mas não para onde você tiver enterrado as suas culpas.

– Diga às pessoas a quem você ama que você as ama, a cada oportunidade.

A vida não é medida pela quantidade de vezes que respiramos, mas pelos momentos que nos tiram a respiração.

Todos nós temos que viver a vida ao máximo a cada dia!

A jornada da vida não é para se chegar ao túmulo em segurança em um corpo bem preservado,mas sim para se escorregar para dentro, meio de lado, totalmente gasto, berrando: Que viagem!   Viva simplesmente, ame generosamente, profundamente, fale gentilmente, deixe o resto para Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *