Amigo É O Que Guia E Desafia

Objetivo: Despertar para a importância que temos na vida das pessoas que estão ao nosso redor e da confiança que precisa existir na caminhada do grupo.
1. Clarear os passos:
Convidar os participantes a formar duplas, ficando um ao lado do outro. A dupla combina quem será o cego e quem será o guia. O cego fecha livremente seus olhos e é auxiliado pelo guia. O guia, de olhos abertos, dá o seu ombro ou a sua mão e o ajuda. Enquanto isso, estar atento aos sentimentos que experimenta:
– Como cego, o que sente ao ser auxiliado? / Como guia, o que sente enquanto auxiliador?
2. Caminhando:
As duplas (cego e guia) seguem por diversos caminhos, inclusive passando por obstáculos, se o guia assim o quiser. Deixa-se um tempo para que haja a vivência necessária. Depois, o animador da dinâmica orienta para que se mudem os papéis: quem é cego torna-se agora guia e quem guiava, é o cego. E a dinâmica segue por alguns minutos.
3. Partilha:
O animador da dinâmica dá um sinal de parada e as duplas voltam à sala, para partilharem com o grupo a experiência feita: o que sentiram como cegos e como guias? Como isso se aplica à nossa vida e à vida do grupo? E em nossas relações de amizade?
4. Após as conclusões, finalizar com o “Poema do Amigo Aprendiz”
L1 – Quero ser seu amigo… (Quero ser sua amiga…)
L2 – Nem demais e nem de menos. Nem tão longe e nem tão perto. Na medida mais precisa que eu puder.
L1 – Mas amar-te, sem medida. E ficar na tua vida. Da maneira mais discreta que eu souber.
L2 – Sem tirar-te a liberdade. Sem jamais te sufocar. Sem forçar tua vontade.
L1 – Sem falar quando for hora de calar. E sem calar quando for hora de falar.
L2 – Nem ausente e nem presente por demais. Simplesmente, calmamente, ser-te paz…
L1 – É bonito ser amigo… (É bonito ser amiga). Mas, confesso, é tão difícil aprender
L2 – E por isso eu te suplico paciência. Vou encher este teu rosto de lembranças! Dá-me um tempo de acertar nossas distâncias!
T – Quem encontrou um amigo… Tem “o maior tesouro que a vida nos poderia dar…”.
Fonte: adaptação do material produzido pela PJ/RS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *