Até Os Mais Experientes Pecam No Currículo

2

Peça determinante em qualquer fase da carreira, o currículo nem sempre recebe a atenção que merece. Não é raro profissionais de níveis mais elevados esquecerem que o documento é estratégico para se conseguir novas e boas oportunidades. A consultoria britânica InterExec, especializada em recrutamento de executivos do alto escalão, fez um estudo dos currículos que recebe e percebeu muitos erros: 63% deles focavam em tarefas e não em conquistas, 54% eram longos demais e 51% traziam muitas informações irrelevantes. No Brasil, especialistas atestam que o cenário não é melhor.

“Constantemente recebemos CVs [curriculum vite] de diretores e vice-presidentes que não apresentam como a carreira foi estruturada. Eles pulam etapas e acabam por parecer que sempre foram diretores, mas as estruturas de base, como gerência e superintendência, podem ser de grande valia em um novo processo seletivo”, explica Andréa Marcelino, da Ramagui Consultoria em Recursos Humanos. Os executivos, segundo ela, muitas vezes procuram fazer um currículo sucinto e, embora os muito longos não sejam indicados, fica difícil resumir 20 anos de experiência em duas páginas.

Para Marcelo Braga, da Search Consultoria, não é obrigatório seguir um modelo. O profissional pode se apresentar ao seu estilo, mas precisa ser claro e ter bom senso na hora de medir a extensão do currículo. “O currículo é apenas uma primeira etapa. Ninguém contrata um profissional apenas com o documento. Ele precisa chamar a atenção para, em um segundo momento, o profissional dar mais detalhes de sua experiência”, diz o especialista. Braga considera a falta de veracidade das informações como o problema mais grave encontrado nos CVs, mesmo entre executivos dos níveis mais altos. “É comum os profissionais engrandecerem um pouco o seu tamanho real, o que traz transtornos para o processo e descrédito. Acontece entre profissionais de todos os níveis”.

Indispensável em qualquer idade

Um currículo bem-feito não é indispensável apenas para os jovens, que precisam impressionar no começo da carreira. “O profissional, mesmo aquele mais experiente, tem mais chances quando o currículo é claro. Por mais que a procura por talentos tenha aumentado, em todo processo seletivo há muitos candidatos. Se as informações não estiverem dispostas de forma correta, ele pode perder a chance”, explica Marcelo. Andréa destaca a importância de se manter o currículo atualizado, mesmo quando se está empregado. “Nunca sabemos quando uma grande oportunidade pode bater à porta”, ensina.

Para montar um currículo ideal, em qualquer fase da carreira, o importante é dar atenção à estrutura. As informações pessoais, bagagem educacional, qualificações e experiências precisam estar listadas. O detalhamento é que tem uma abordagem diferente. “O CV ideal para um executivo sênior é aquele em que ele possa apresentar a evolução de sua carreira de uma maneira clara, prendendo-se aos pontos importantes e interessantes da sua trajetória e dando destaque para as realizações. Deve-se escrever apenas o necessário, mas de forma a ser entendido por todos que lêem”, ensina Andréa.

Veja os principais erros listados pela InterExec a partir da análise dos currículos de executivos:

– 63% focam em tarefas e não em conquistas;

– 54% são muito longos;

– 51% trazem muitas informações irrelevantes;

– 35% usam muitos jargões e abreviações;

– 25% carecem de atenção aos detalhes;

– 24% são muito superficiais;

– 10% são arrogantes.

Marina Gaspar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *