Atitudes Que Garantem Tranquilidade No Processo De Desligamento

Comunicação E Transparência São Fundamentais Para Evitar O Desgaste

Comunicar a uma pessoa que ela será demitida não é tarefa agradável para ninguém. Por isso, muitos gestores encontram dificuldades quando chega a hora de dispensar um funcionário. “O resultado é que, sem preparo, eles podem tornar mais difícil uma situação que já é naturalmente tensa”, diz Vladimir Araújo, diretor de projetos da divisão de outplacement coletivo da consultoria de recursos humanos Ricardo Xavier.

Segundo ele, falta treinamento aos encarregados pelas demissões. O especialista destacou para o iG Empregos algumas estratégias que podem colaborar para que os desligamentos ocorram de forma mais tranquila.

Prepare-se

Alguns cuidados são necessários na hora de realizar a demissão. “Pense em como fazer a abordagem”, sugere o especialista. Até o local deve ser pensado com antecedência, pois há pessoas que choram, outras sentem vergonha ou ficam nervosas. “Imagine chamar o profissional para conversar em uma sala envidraçada. Se algo inconveniente acontecer, todas as pessoas da equipe ficarão sabendo.”

Não deixe dúvidas

A primeira pergunta que vem na mente de um profissional desligado é “Por que eu?”. “Esteja preparado para responder a essa e a outras dúvidas comuns no momento. Tenha em mente os motivos que levaram a tomar aquela decisão”, diz. Informe os benefícios que o funcionário terá direito com a saída, até quando permanecerá na empresa, como será a transição das atividades e o comunicado da demissão perante os clientes e colegas. Leve uma lista das pendências que precisam ser resolvidas e de materiais a devolver, como laptops, celulares ou veículo de uso profissional.

Dê feedback

“É importante dar um feedback para o funcionário em relação ao trabalho que ele desenvolveu na empresa”, afirma Araújo. De acordo com ele, a melhor maneira de ajudar o profissional demitido é informar que pontos podem ser desenvolvidos em sua carreira. Se tiver indicações para recolocação no mercado, este é o momento de sugerir.

Preveja reações

Para não haver insubordinação, preveja o comportamento de seus funcionários. “Se acha que a pessoa não irá trabalhar mais depois da notícia, não adianta querer segurar. Seu comportamento pode contaminar o ambiente da empresa”, argumenta Araújo. Quem quer que o empregado complete o serviço antes de sair, precisa avisar com antecedência para ele se organizar.

Transparência no processo

Depois que a pessoa for embora, reúna a equipe e explique a decisão. “Lembre-se de que é preciso ser coerente com aquilo que foi justificado para o funcionário que saiu.”

Não sinta culpa

O gestor é responsável pela disseminação das estratégias da empresa. “A demissão surge para preservar os objetivos do negócio, mas deve ser feita com respeito e responsabilidade”, diz Araújo. Se precisar demitir um amigo, aja de modo bastante profissional, para que a pessoa não se sinta injustiçada. “Ela irá perceber que sua posição dentro da empresa exigiu aquela atitude”, considera Araújo.  Rachel Sciré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *