Atitudes

É impressionante, mas verdadeiro. Quando mais achamos que sabemos todas as respostas mudam-se as perguntas e as nossas angustias se fazem presentes.

O tempo é tão longo que eu quase não me encontro nele. Não consigo dimensionar quando foi que tudo começou. Sei que nada sei sobre isso, mas que há muito ainda para percorrer. Porém busco entender, medito muito. Bem, claro que o meu muito é diferente do seu.

A cada texto que publico recebo várias manifestações dos leitores. Assim, os e-mails continuam chegando e com eles as dúvidas das pessoas. Algumas chego a entender e até posso me atrever a dar um conselho, mas a maioria, confesso, me pega completamente sem ação. De qualquer forma busco em meu interior palavras, frases e conceitos que possam assistir e de alguma forma auxiliar quem me chama.

Variamos os problemas, mas nunca a essência. Eu, como você e qualquer ser humano, sofro pela necessidade de entender o que se passa em nossa volta. Muitas vezes esquecemos de que somos o nosso problema. Criamos e convivemos com ele. É tão bom ser coitadinho, né?

Como diz bem o ditado Uruguaio: Feita a fama, deitar e dormir.

Claro, depois que mais de uma pessoa aceita que o problema é este, ou que somos aquilo… a fama está feita. Ahi, meu amigo… podem se passar anos para que as pessoas mudem o seu conceito sobre um pré-julgamento.

Só tem uma coisa que efetivamente muda as nossas colheitas: Atitude.

Não adianta só pensar em mudar. Não resolve empurrar o problema com a barriga na triste ilusão de que tudo vai ser diferente amanhã. Nada muda sem que tenhamos uma atitude. O problema é que muitas vezes fica mais confortável não fazer nada. Mas depois fica pior… sempre fica pior. Nunca é melhor.

Sei que tudo começa com os nossos pensamentos e a forma e conteúdo que damos a eles. Claro, saber pensar é o começo, mas só isso não altera o fluxo das coisas.

Rezar, meditar, orar é bom mas o que resolve, e só o que resolve mesmo, é a nossa determinação de termos uma atitude ativa na busca da solução do nosso mal.

Cansei de ver, de ouvir e mesmo de conviver com pessoas que querem mudar, mas não fazem nada diferente do que faziam… “Mudar como? Pergunto”.

Se nada fazemos diferente… claro que o resultado será o mesmo.

Ontem conversei com uma pessoa e disse para ela:

– Não me pergunte como, mas sei que você ainda precisa tomar algumas decisões.

Seu sexto chakra me mostra isso. Se você aceitar uma sugestão… obedeça à sua intuição. Ela nunca falha. Mas, cuidado, só serve para você.

Se tivermos uma atitude nova por dia no final do mês construiremos uma realidade diferente. Só assim será possível a mudança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *