Bolinhas Vivas

Objetivo: Promover estreitamento das relações interpessoais, integração grupal; tomada de decisões; soluções criativas; liderança; grau de desperdício.

Material: Bolinhas de tamanhos, cores e materiais diferentes.

Grupo de pé e em círculo. Do centro, o instrutor dá a cada participante um número seqüencial de 1 a te o total de componentes, cuidando para que o seguinte seja sempre oposto ao anterior. Exemplo: número 1 de um lado, número 2 de outro, e assim sucessivamente. Após todos terem memorizado seu número, avisa:

 

“Todos vocês fazem parte de uma empresa que está fabricando um produto (que são estas bolinhas) que está despertando a atenção do mercado, pelo alto grau de qualidade e rapidez com que estão sendo processadas as diversas fases. Cada número é uma fase. Hoje estamos recebendo a visita de uma empresa japonesa que veio ver este processamento de perto e comprar os produtos

e know-how. Temos de fazer bonito! Para isto, vamos ter algum tempo para praticar e ver se melhoramos o tempo, contemplando a qualidade, já que fomos informados de que a fábrica da esquina conseguiu os mesmos resultados de qualidade em tempo bem menor que o nosso. O japonês vem primeiro visitar a nossa fábrica. Temos de estar melhores que os nossos concorrentes! Vou entregar uma bolinha ao número 1, que deverá passar ao 2, e assim por diante. Quando a bolinha chegar nas mãos do último, este deverá repassá-la ao Gerente (que no caso é próprio instrutor)”. Avisa que o tempo será cronometrado a partir de agora. Assim que o grupo estiver bem sintonizado com a tarefa, ou demonstrar sinais de querer modificar suas posições no círculo, o facilitador permite e anuncia que os resultados foram tão bons que a gerência resolveu introduzir mais alguns produtos (e vai entregando as outras bolinhas sem muitos intervalos).

Observações:

As pessoas começam se deslocar, sob a orientação de alguém (liderança), em posições seqüenciais por número.

Costumam “pedir licença” antes de tomar iniciativa da mudança.

As bolinhas de menos peso, menores ou as maiores, ao caírem costumam permanecer no chão, nem sempre sendo retomadas; alguns até as chutam sutilmente para trás.

As pessoas preocupam em

melhorar seus escores.

No momento do fechamento, o instrutor deverá fazer seu levantamento sem, no entanto, nominar as pessoas que se destacaram ou não.

É importante colocar questões como:

– Grau de satisfação com o resultado final;

– Estilo de liderança adotado;

– A pressão do tempo como influenciador na tomada de decisões;

– Grau de motivação dos participantes. Motivos que levaram as pessoas a

se interessarem pela atividade;

– Grau de desperdício dos produtos rejeitados. Qualidade é só do produto final? E os custos que vêm embutidos?

– A procura da comodidade (bolinhas mais fáceis de serem conduzidas).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *