Carregue Somente O Que É Necessário

viagem

Qual é o caminho que irá trilhar? Aonde você quer chegar? Como você gostaria que fosse seu dia?

É comum, antes de sairmos de casa para trabalhar, colocarmos na bolsa tudo o que será necessário enquanto estivermos fora de casa, por exemplo: celular, laptop, dinheiro, documentos, um lanche, um agasalho. Se a bolsa estiver muito pesada, tiramos algumas coisas que são dispensáveis. Você não precisa fazer planos mirabolantes e nem precisa carregar com você tudo o que tem em sua casa para viver o dia de hoje. Você já imaginou como seria difícil sair de casa todos os dias com um caminhão de mudança?

Agora te pergunto, por que fazemos isso com nossas emoções? Por que carregamos no dia-a-dia aquilo que não é necessário?

Quando estamos fora de casa, sabemos que nossos pertences estão seguros, trancados, esperando pela nossa volta. Assim como as pessoas que amamos, os problemas domésticos, nossos animaizinhos, nossas plantas, ou seja, lá o que for que você possua.

Nossas emoções não são “coisas” materializadas, temos desejos, sonhos, tristezas, lembranças ruins, memórias deliciosas, arrependimentos do que fizemos e do que não fizemos, dor, saudade e tantas outras emoções. Tudo isso, apesar de invisível aos olhos, existe e não deixará de existir, porém somente nós podemos sentir somente nós temos que conviver com todas essas emoções, mas não precisamos carrega-las conosco o tempo inteiro.

Vou te contar uma história: Uma vez, quando eu morava na Inglaterra e não tinha muito tempo para ficar com meu filho, ele, como criança, não sabia lidar com seus sentimentos e ficava muito bravo quando eu tinha que ir trabalhar, e um dia, como sugestão da professora, fizemos uma caixinha que ficaria em casa sempre disponível. Ele então escreveria o que estava sentindo e o porquê e colocaria na caixa, para que pudéssemos abrir juntos, quando eu estivesse em casa. No início tinha muitos papeizinhos que diziam mais ou menos a mesma coisa: ele estava bravo porque estava com saudades, bravo que eu não levava ele pra escola, ás vezes desenhava o prédio onde eu trabalhava e uma carinha triste. Eu explicava a ele que também sentia saudades, que também estava triste, mas que não podia ficar sempre com ele. Aos poucos ele foi compreendendo e parou de colocar papeizinhos na caixa. Um dia perguntei a ele, porque ele não escrevia mais e ele disse que não ficava mais triste porque sabia que eu ia voltar pra casa assim que eu pudesse. Ele tinha somente cinco anos, mas ele mostrou que a técnica da professora funcionava perfeitamente.

Então, por que não providenciarmos agora esta caixinha, onde podemos depositar os papeizinhos com os nossos problemas, preocupações, anseios, tristezas, saudades, mágoas, sonhos, desejos, enfim, cada sentimento que temos em nós, positivo ou negativo. Ali poderá ser então, nossa casa emocional.

Antes de começar seu dia, reflita sobre o que está sentindo, analise os papeizinhos desta caixa e carregue consigo somente o que é necessário para viver o dia de hoje, e assim, tenho certeza que seu dia ficará mais leve e você carregará no semblante a certeza de que sempre poderá voltar pra casa e se conectar novamente com suas emoções.

Meu desejo, é que os seus papeizinhos com sentimentos negativos aos poucos se transformem em positivos e a leveza do teu sorriso se espalhe pelo teu caminhar, espalhando luz onde você estiver.http://www.bomdiahoje.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *