Diferentes?

1

Objetivo : Sentir A Realidade Do Outro. Conscientizar De Que Somos Diferentes Uns Dos Outros.
Material : Caixas De Papelão Ou Sacos Plásticos.
Desenvolvimento :
Se o grupo for grande dividir em equipes
Deixar em cada equipe uma caixa de papelão
Pedir aos participantes tirarem seus sapatos e colocarem na caixa
Ao sinal todos deverão colocar os sapatos novamente o mais rápido possível para sentir-se bem dentro de sua realidade
Após 1 minuto, parar para avaliar o resultado
Num 2º momento, recolher os sapatos e distribuí-los aos participantes, de tal modo que ninguém fique com os seus próprios sapatos.
Ao sinal todos deverão colocar os sapatos do colega para sentir a realidade do próximo.
Avaliar os últimos resultados, comparando-os com o 1º
iluminação bíblica : Rm 12,15

Abra O Olho Meu Irmão

1

– Fonte: Livro Recriando Experiências (Grupo Maria de Nazaré)
– Participantes: 7 a 30 pessoas
– Tempo Estimado: 20 minutos
– Modalidade: Visão da Sociedade.
– Objetivo: Tomar consciência da luta desigual que enfrentamos em nossa sociedade.
– Material: Dois panos para fechar os olhos e dois chinelos ou porretes feitos com jornais enrolados em forma de cacetete.
– Observação: Possíveis leituras do Evangelho – Mc 10, 46-52 ou Lc 24, 13-34.
– Descrição: Dois voluntários devem ter os rostos cobertos e devem receber um chinelo ou porrete. Depois devem iniciar uma briga de cegos, para ver quem acerta mais o outro no escuro. O restante do grupo apenas assiste. Assim que inicia a “briga”, o coordenador faz sinal para o grupo não dizer nada e desamarra a venda dos olhos de um dos voluntários e deixa a briga continuar. Depois de tempo suficiente para que os resultados das duas situações sejam bem observados, o coordenador retira a venda do outro voluntário e encerra a experiência, abrindo um debate sobre o que se presenciou no contexto da sociedade atual. A reação dos participantes pode ser muito variada. Por isso, é conveniente refletir algumas posturas como: indiferença x indignação; aplaudir o agressor x posicionar-se para defender o indefeso; lavar as mãos x envolver-se e solidarizar-se com o oprimido, etc. Alguns questionamentos podem ajudar, primeiro perguntar aos voluntários como se sentiram e o por quê. Depois dar a palavra aos demais participantes.
Qual foi a postura do grupo?
Para quem torceram?
O que isso tem a ver com nossa realidade?
Quais as cegueiras que enfrentamos hoje?
O que significa ter os olhos vendados?
Quem estabelece as regras do jogo da vida social, política e econômica hoje?
Como podemos contribuir para tirar as vendas dos olhos daqueles que não enxergam?

Apresentação Através Das Cores

1

Destinatários: Grupo de jovens e adultos.
Material: Folha de papel de diferentes cores, em tamanhos visível a certa distância e colocadas em lugar visível a todos.
Desenvolvimento:
-O animador faz a movimentação do exercício, lembrando que os seres humanos, desde épocas muito remotas, sempre atribuíram às cores significados especiais, chegando até alguns a atribuir-lhes uma influência que vai muito além dos efeitos meramente estéticos. Sua função, neste momento, é a de ajudar a nos conhecer melhor.
-Convida cada um dos presentes a escolher a cor com que melhor se identifica e a anotar em seu caderno as razões dessa escolha.
-Cada participante escolhe sua cor preferida e anota as razões de sua preferência.
-A seguir, no plenário, as pessoas revelam a cor escolhida e comentam as razões da preferência. Os demais podem interferir, não só fazendo pergunta, mas também solicitando explicações.
-Avaliação da dinâmica:
a) de que serviu o exercício?
b) depois dele, como nos sentimos?

A Palavra Que Tranforma

1

Objetivo : Fazer o grupo refletir de que forma assimilamos a PALAVRA DE DEUS em nossas vidas.
Material : um bolinha de isopor, um giz, um vidrinho de remédio vazio, uma esoponja e uma vazilha com água.
Desenvolvimento :
Explicar que a água é a Palavra de Deus e os objetos somos nós.
Dê um objeto para cada pessoa.
Colocar 1º a bolinha de isopor na água.
Refletir : o isopor não afunda e nem absorve a água. Como nós absorvemos a Palavra de Deus ? Somos também impermeáveis ?
Mergulhar o giz na água.
Refletir : o giz retém a água só para si, sem repartir. E nós?
Encher de água o vidrinho de remédio. Despejar toda toda a água que ele se encheu.
Refletir : o vidrinho tinha água só para passar para os outros, mas sem guardar nada para si mesmo. E nós ?
Mergulhar a esponja e espremer a água.
Refletir: a esponja absorve bem a água e mesmo espremendo ela continua molhada.
ILUMINAÇÃO BÍBLICA : Is 40,8 ; Mt 7,24 ; 2Tm 3,16

Sentindo O Espírito

1

Objetivo: Mostra que não adianta falarmos do Espírito Santo se não provarmos e sentirmos ele em nossas vidas.

Material: Uvas

Participantes: indefinido.

Duração: 15 minutos.

Desenvolvimento: O coordenador deve falar um pouco do Espírito Santo para o grupo. Depois o coordenador da dinâmica deve mostrar o cacho de uva e perguntar a cada um como ele acha que esta o sabor destas uvas. Obviamente alguns iram discordar a respeito do sabor destas uvas, como: acho que esta doce, que esta azeda, que esta suculenta etc. Após todos terem respondido o coordenador entrega uma uva para cada um comer. Então o coordenador deve repetir a pergunta (como esta o sabor desta uva?).

Mensagem: Só saberemos o sabor do Espírito Santo se experimentarmos em nossa vida concretamente.

O Lixo E A Cruz

1

Objetivos: Revisão de vida, importância da aceitação das dificuldades da vida e aulas sobre vícios e defeitos.

Material: Folhas de papel ou jornal para dobraduras conforme modelo.

Processo: Distribuir uma folha para cada participante, pedir que repitam as mesmas dobras que o organizador via fazendo na folha.

Pedir que todos façam o recorte na parte menor da dobra.

Colocar o pedaço maior no bolso sem abrir e o pedaço menor jogar no lixo.

Pedir a todos que falem dos lixos que precisam ser “jogados fora”.

No final, solicitar que abram o pedaço do bolso. Para surpresa teremos ali o desenho de uma cruz.

Falar sobre o esforço para conseguirmos vencer os vícios e defeitos da nossa vida.

A Queima Dos Vícios E Defeitos A Serem Vencidos

3

Objetivos: Afirmação da proposta de reforma íntima, encerramento de encontros.

Material: Papel, canetas, recipiente para colocar fogo e fósforos.

Processo: Distribuir papéizinhos entre os participantes, pedindo que cada um coloque

neles seus vícios ou defeitos a serem vencidos.

Após uma oração, acender o fogo no recipiente e pedir que cada um queime seu papel com

o propósito de reforma íntima.

Pode-se também ao final cantar um hino.

Refletindo com o Espelho

1

Objetivo: Partilha dos sentimentos.

Desenvolvimento: O ambiente deve ser silencioso. Cada um deve pensar em alguém que lhe seja muito importante, para quem gostaria de dar atenção em todos os momentos, alguém que se ama de verdade, que merece todo cuidado.

Entrar em contato com essa pessoa através do pensamento e refletir sobre os motivos que os tornam tão amada.

(Deixar tempo para interiorização).

Agora cada um vai encontrar a pessoa que realmente tem um grande significado especial na sua vida e é responsável pelos seus sucessos e fracassos.

Cada um, em silêncio, se dirige até uma caixa que o instrutor preparou previamente e olha a tampa. A seguir, volta em silêncio para seu lugar.

Depois se faz a partilha dos próprios sentimentos, das reflexões e conclusões de cada um.

Dentro da caixa, colado na tampa tem um espelho. Para que a pessoa chegue a conclusão que a pessoa que mais merece sua atenção e cuidado é aquela que está refletida no espelho, ou seja: a si mesmo.

Palavra de Deus: Lc 12.1-3 Sl 131

Valores

1

Objetivo: reconhecer os valores e qualidades.

Material: Cartões com valores escritos.

Desenvolvimentos:

Cada pessoa recebe um cartão com um valor que ela possua.

Deixar um momento para a reflexão pessoal.

Depois cada um vai dizer se considera ter mesmo este valor ou não. E se reconhece no grupo alguém que tem o mesmo valor.

Só no final da dinâmica, alguns guardam para si, outros souberam recomeçar este valor em outra pessoa, outros até duvidam o cartão com quem tem o mesmo valor.

Palavra de Deus: 1 Cor. 12,4-11 Lc 1, 46-55.

Virar Pelo Avesso

 1

Objetivo: Despertar o grupo para a importância da organização

Desenvolvimento:

1° Passo: formar um círculo, todos de mãos dadas.

2° Passo: O coordenador propõe o grupo um desafio. O grupo, todos deverão ficar voltados para fora, de costas para o centro do círculo, sem soltar as mãos. Se alguém já conhece a dinâmica deve ficar de fora observando ou não dar pistas nenhuma.

3° Passo: o grupo deverá buscar alternativas, até conseguir o objetivo.

4° Passo: depois de conseguir virar pelo avesso, o grupo deverá desvirar, voltando a estar como antes.

5° Passo: Analisar a dinâmica:

O que viam? Como se sentiram?

Foi fácil encontrar a saída? Porquê?

Alguém desanimou? Porquê?

O que isto tem a ver com o nosso dia a dia?

Nossa sociedade precisa ser transformada?

O que nós podemos fazer?

Palavra de Deus: Ex 18, 13-27 Sl 114