Ciclo Motivacional

Começa com o surgimento de uma necessidade.  Esta é uma força dinâmica e persistente que provoca comportamento.  Toda vez que surge uma necessidade esta rompe o estado de equilíbrio do organismo, causando um estado de tensão, ou ação, capaz de descarregar a tensão ou livrá-lo do desconforto e do equilíbrio. Se o comportamento for eficaz, o indivíduo encontrará a satisfação da necessidade, o organismo volta ao estado de equilíbrio anterior, à sua forma de ajustamento ao ambiente.

Etapas Do Ciclo Motivacional

Equilíbrio  Interno –  Satisfação

Estímulo ou Incentivo – Necessidade

Comportamento  Tensão ou ação

No ciclo motivacional, a necessidade é satisfeita. À medida que o ciclo se repete com a aprendizagem e a repetição (reforço), os comportamentos tornam-se gradativamente mais eficazes na satisfação de certas necessidades. Uma vez satisfeita, a necessidade deixa de ser motivadora do comportamento, já que não causa tensão ou desconforto.

No ciclo motivacional, contudo, a necessidade nem sempre pode ser satisfeita. Ela pode ser frustrada, ou ainda, pode ser recompensada, ou seja transferida para outro objeto, pessoa ou situação.

No caso de frustração da necessidade, no ciclo motivacional, a tensão provocada pelo surgimento da necessidade encontra uma barreira ou um obstáculo para a sua liberação.  Não encontrando saída normal, a tensão represada no organismo procura um meio indireto de saída, por via psicológica (agressividade, descontentamento, tensão emocional, depressão, auto-agressão, etc), seja por via fisiológica (tensão nervosa, insônia, perda do apetite, etc).

Hierarquia Das Necessidades De Maslow

Abraham Maslow formulou uma teoria com base na hierarquia de necessidades que influenciam o comportamento humano. Maslow concebeu esta hierarquia pelo fato de o homem ser uma criatura que expande suas necessidades no decorrer de sua vida. À medida que o homem satisfaz suas necessidades básicas outras mais elevadas assumem o predomínio do seu comportamento.

A > Fisiológicas: ar, comida, repouso, abrigo, sexo.

B > Segurança: proteção contra o perigo ou privação, no trabalho (benefícios, salário, condições seguras).

C > Sociais: amizade, inclusão em grupos, sentimento de aceitação à família organizacional.

D > Auto-estima: reputação, reconhecimento, auto-respeito.

E > Auto-realização: utilização dos talentos, realização do potencial.

 

Em linhas gerais, a teoria de Maslow apresenta os seguintes aspectos:

1-        Uma necessidade satisfeita não é motivadora de comportamento Apenas as necessidades não satisfeitas influenciam o comportamento, dirigindo-o para objetivos individuais.

2-        O indivíduo nasce com certas bagagens de necessidades fisiológicas, que são inatas ou hereditárias. De início, seu comportamento é exclusivamente voltado para a participação cíclica dessas necessidades como fome, sede, ciclo sono-atividade, sexo etc.

3-        A partir de uma certa idade, o indivíduo ingressa em uma longa trajetória de aprendizagem de novos padrões de necessidades. Surgem as necessidades de segurança, voltadas para a proteção contra o perigo, contra as ameaças e contra a privação.

4-        À medida que o indivíduo passa a controlar suas necessidades fisiológicas e de segurança surgem lenta e gradativamente as necessidades mais elevadas. Porém, quando o indivíduo alcança a satisfação das necessidades sociais surgem as necessidades de auto-realização. Isso significa que as necessidades de estima são complementares às necessidades sociais, enquanto as de auto- realização são complementares as de estima.

5-        Os níveis mais elevados de necessidade somente surgem quando os níveis mais baixos estão relativamente controlados e alcançados pelo indivíduo. Nem todos os indivíduos conseguem ao nível das necessidades de auto-realização, ou mesmo ao nível de estima. É uma conquista individual.

6-        As necessidades mais elevadas não somente surgem à medida que as mais baixas vão sendo satisfeitas, mas predominam as mais baixas de acordo com a hierarquia das necessidades. O comportamento do indivíduo é influenciado simultaneamente por um grande número de necessidades concomitantes, porém as necessidades mais elevadas tem uma ativação predominante em relação às necessidades mais baixas.

7-        As necessidades mais baixas requerem um ciclo motivacional relativamente rápido (comer, dormir etc.), enquanto as necessidades mais elevadas requerem um ciclo extremamente longo. Porém, se alguma necessidade mais baixa deixar de ser satisfeita durante muito tempo, ela se torna imperativa, neutralizando o efeito das necessidades mais levadas. A privação de uma necessidade mais baixa faz com que as energias do indivíduo se desviem para a luta pela sua satisfação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *