Cinco Qualidades Das Empresas Vencedoras Em Qualquer Economia

9

Na linguagem popular, existem várias analogias entre o que ocorre com as pessoas e as plantas. Se for uma pessoa forte, resistente, que nunca fica doente, diz-se “é forte como aroeira”….. Essa analogia é feita com uma árvore chamada Aroeira (myracrodruon urunduva),que pode chegar a 30m de altura, tronco grosso, com alta densidade, considerada a madeira mais resistente do Brasil, que não apodrece, tem alto teor de tanino e resiste ao ataque de cupins de madeira seca.

É usada nas construções externas, como vigamento de pontes, pinguelas, postes, esteios, curral e dormentes. Na construção civil, como vigas, caibros, ripas, tacos para assoalhos, móveis e peças torneadas, rodas, moenda e pisos.   Em cercas de sítios e fazendas, como mourão, esticador, batente, estaca, palanque ou balancim e obras de entalhe. O que é uma empresa forte como “aroeira”?   Aquela que tem a primeira qualidade das vencedoras.

1ª . Qualidade : RESISTÊNCIA

Resistência para não jogar a toalha quando perde o 1º round da luta, continuar lutando, como fazem alguns lutadores de boxe ou MMA, que levam aquela “surra nos primeiros assaltos (round s) e depois vencem a luta”….. e como fizeram alguns grupos empresariais brasileiros, que também já passaram por problemas econômicos e financeiros. Entre os quais citamos o GPA (Grupo Pão de Açúcar), que viveu forte crise na década de 80, quando fechou as Lojas Jumbo, reestruturou a gestão com saída de alguns irmãos Diniz e Abílio Diniz assumiu o comando, sendo hoje uma potência econômica nacional e mundial, gerando milhares de postos de trabalho.

E com sua Resistência, obter a Durabilidade, que na analogia, é ter saúde corporativa para perpetuar sua continuidade pelas gerações familiares seguintes. Saúde corporativa se consegue com organização, métodos, processos ajustados e corretos, pessoas treinadas e capacitadas, sistemas funcionais, produtos adequados, um bom planejamento estratégico e políticas comercial e de marketing bem fundamentadas.

Uma segunda analogia muita usada no interior de alguns estados, é “enverga mas não quebra”, citando o Guatambu (Aspidosperma parvifolium), que atinge de 8 a 15m de altura, tronco fino, madeira também pesada e dura, usada em construção civil (vigas, caibros,mourões, cruzetas, assoalhos e batentes), obras externas e na confecção de móveis, berimbau, porretes, peças torneadas e cabos de ferramentas. E também como paisagismo, por ser ornamental. Esse ditado popular está associado ao fato do guatambu não quebrar nas tempestades com ventos fortes, como acontece com muitas outras árvores, porque ele enverga e volta à sua posição original, quando passa a ventania. O que é uma empresa que “enverga mas não quebra” ? Aquela que tem a segunda qualidade das vencedoras.

2ª.Qualidade: RESILIÊNCIA, sendo capaz de se ajustar aos movimentos do ambiente (mercado) e retomar sua posição, ter prejuízos e retomar sua lucratividade, perder talentos e formar novos, enfrentar concorrentes difíceis e achar nichos onde atuar novamente, perder mercado nos produtos tradicionais e inovar criando alternativos, absorver uma carga gigantesca de impostos e ainda se manter competitiva, suportar os erros das políticas econômicas e se manter aberta, gerando empregos e injetando dinheiro na economia do país.

Para manter sua Resiliência fortalecida, a inovação deve ser uma filosofia constante na gestão, seja focada na organização interna, simplificando os procedimentos de registro de atividades, relatórios, análises dos resultados, como também nos processos operacionais, onde as reduções dos ciclos podem eliminar atividades que não agregam valor ou reduzir os tempos das que não agregam mas não podem ser eliminadas e das que são fundamentais. É necessário também uma gestão orientada para resultados e não tarefas, promovendo a capacitação constante das pessoas, a busca contínua de redução de custos e desperdícios nos processos, a manutenção de margens positivas nos produtos e negociações, o uso de orçamentos bem definidos para manter estruturas, colaboradores, tributos e sair ilesa dos erros das políticas econômicas.

Uma terceira analogia popular no país, é “chupar cana e assobiar ao mesmo tempo”, se referindo às pessoas capazes de fazer várias coisas diferentes e algumas até simultâneas. Eu mesmo tenho um afilhado de casamento, hoje fisioterapeuta formado em faculdade, que já foi instrutor de capoeira, vendedor de roupas na traseira de carro nas ruas, vendedor de carros usados, garçom, maitre, dono de lanchonete em praia, fabricante de produtos de limpeza e se deu bem em todas, sustentando sua família com essas atividades.

Esta analogia é feita com o Bambu, a madeira do futuro pelo aspecto sustentabilidade, há milênios dá forma a casas tradicionais em países como Japão e a China.

No Brasil, encontramos as modalidades guadua (Guadua angustifolia), bambu-gigante (Dendrocalamus giganteus) e ao bambu-mossô (Phyllostachys pubescens).

Mas sua resistência também surpreende: de frágil, ela não tem nada. “Sua compressão, sua flexão e sua tração ja foram amplamente testadas e aprovadas em laboratório”, afirma Marco Antônio Pereira, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Unesp, em Bauru, que mora ha dez anos numa casa de bambu.

Na revista Horizonte Geográfico (nº157, capa Bio Pirataria, pag.46 a 53), a reportagem “Bambu, potencial a desabrochar” a gramínea é citada como fonte de renda sustentável e entre as vantagens, rápido crescimento, leveza, durabilidade e beleza estética. É usado em lâminas de cortinas, artesanatos, estruturas de residências, jardins como suporte ou decoração, sacos de cimento, utensílios domésticos, canoas, móveis, triturado para fabricar sacaria de alta resistência, proteção para nascentes de água (porque aumenta a umidade e enriquece o solo com as folhas), O Brasil possui um terço de todas as espécies do mundo, e somente o Acre, tem 9,4% de seus 164.123 km2, ocupados por matas nativas de bambu.                   O que é uma empresa capaz de chupar cana e assobiar ao mesmo tempo ? Aquela que tem a terceira qualidade das vencedoras.

3ª.Qualidade: FLEXIBILIDADE, que permita mudar de rumo, se necessário, inclusive de produto fabricado, como já fizeram grandes corporações mundiais, entre as quais a GE-General Electric, que fabrica locomotivas, turbinas, lâmpadas e outros produtos. As edificações, máquinas, equipamentos e pessoas, o conhecimento, tudo junto, permite criar produtos inovadores, que podem ter novas demandas, quando os produtos atuais encalham.

A manutenção da Flexibilidade começa com investimentos nas pessoas, com uma área de P&D bem focada em inovações, criando novas utilizações dos produtos existentes ou novos produtos com suas matérias primas, equipamentos, tecnologia e conhecimento das suas equipes. É preciso investir continuamente em P&D, formação e reciclagem dos conhecimentos dos colaboradores, visitar feiras de negócios no país e exterior, pesquisar novidades tecnológicas em outras fontes.

Uma quarta analogia popular no país, é a chamada “é como tiririca, acaba o mundo mas ela continua”, se referindo à extraordinária capacidade das ervas daninhas em sobreviver a condições extremas, como frio e calor, aos defensivos agrícolas, roçadeiras, capina, com rápida adaptação.

Um exemplo de adaptação das plantas daninhas às práticas de controle, pode-se citar o uso de roçadeira para o controle de espécies perenes. A roçadeira elimina a parte aérea e estimula o desenvolvimento da parte subterrânea, com isso estas espécies se tornam mais competitivas e dominam a área com o tempo, como a tiririca (reprodução por tubérculos ou batatinhas).

As ervas daninhas não tem nenhuma exigência para germinar, tem rápido crescimento, alta capacidade de florescimento, alta produção de sementes, habilidade de dispersão, adaptação às práticas de manejo, tolerância à variação ambiental. O autor, pessoalmente, ao morar em chácaras por 6 anos, percebeu que uma erva daninha (guaxuma), floria a cerca de 15 cm do solo e ao carpir frequentemente, ela passou a dar flores a menos de 10 cm do solo, ou seja, acelerou suas florada para se adaptar e gerar sementes. As mais conhecidas são tiririca, guanxuma,   assa peixe, caruru, carrapicho, alguns capins (gramíneas) e as usinas de cana gastam milhões no seu controle, para manter a produtividade dos canaviais.   O que é uma empresa “como tiririca, acaba o mundo mas ela continua? Aquela que tem a quarta qualidade das vencedoras.

4ª.Qualidade: ADAPTAÇÃO AO MEIO AMBIENTE, capaz de se adaptar quando muda o ambiente, quando surgem novas ameaças internas ou externas, novos entrantes no mercado, sejam de fora ou do próprio país, novas tecnologias. E aproveitar as novas oportunidades internas ou externas do mercado, no momento em que surgem.

Uma adaptação ao meio ambiente, também passa por investimentos em P&D, nas pessoas e criar uma cultura de velocidade de ações dentro da empresa, de cima para baixo, em todos os níveis. Surgiu uma nova situação de mercado que pode refletir negativamente na empresa, a situação deve ser analisada rapidamente e decisões corretivas tomadas, antes que os reflexos afetem os resultados. E também pelo planejamento e orçamentos de recursos, que permitam ter reservas orçadas, possibilitando investir na mudança de rumo e produtos, se necessário.

Vou citar como exemplo, uma fábrica de mesas e cadeiras de Valentim Gentil, cidade do interior do estado de São Paulo, que migrou para o segmento de camas e dormitórios, devido baixas margens de lucro do anterior, além de processo complexo (muitas etapas), com custos adicionais devido excesso de operações manuais. Aproveitou sua fábrica, pessoas, maior parte dos equipamentos, realizando adaptação para sobreviver.

Uma quinta analogia popular “passaram mel, tem sempre alguém grudado nele”, diz respeito às pessoas que tem a capacidade de ter sempre alguém por perto, amigos, parentes e até desconhecidos. Na natureza, a bananeira, vive num núcleo, formando as chamadas moitas. Seu verdadeiro caule é um bolbo com capacidade de recrescimento todos os anos. A inflorescência dá lugar aos ‘cachos’, compostas por ‘dedos’ que são os frutos, geralmente de cor amarela. Pertence à família Musáceas e género Musa. A bananeira é uma planta herbácea ‘perene’, uma vez que após a frutificação as partes aéreas morrem, mas são substituídas por novos rebentos que crescem desde a sua base. Os tipos mais altos da série Cavendish podem chegar a atingir quase 8m de altura, apesar do normal ser entre 3 e 6m.. As flores são hermafroditas, mas só as que se podem ver através da prega dupla das brácteas, são de dominância feminina, é que darão origem ao ‘cacho’ que contém de 3 a 20 frutos, conhecidos pelo nome bananas ou ‘dedos’.O que é uma empresa “ que passaram mel, tem sempre alguém grudado nela”? Aquela que tem a quinta qualidade das vencedoras.

5ª.Qualidade: CAPACIDADE DE AGREGAR, pessoas, colaboradores, fornecedores, clientes e até concorrentes à sua volta, permitindo maior facilidade para sobreviver quando surgem épocas de seca, economia complicada, mercado em queda. Capacidade de aprofundar suas raízes na comunidade, ter uma cultura e clima que faça as pessoas se sentirem bem, serem engajadas nos projetos de crescimento ou recuperação.

A capacidade de agregar pessoas e até os “stakeholders” começa por uma boa política de RH e social da empresa, junto aos colaboradores e comunidade local onde está inserida. Gestores que valorizem pessoas e seu jeito de ser, que lidem com a comunidade como parte da cadeia produtiva.   E dirigentes, que devolvam ao local, parte dos resultados em forma de benefícios, sejam sociais ou através de seus colaboradores, com salários adequados, oportunidades de carreira e ganhos melhores, mecanismos de reconhecimento e valorização.

 

Autor: Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças) e produtividade pessoal (com redução dos ciclos das atividades).   E Projetos de Melhorias dos Resultados(PMR), focando produtividade, processos, redução de custos e desperdícios, marketing e vendas, compras e estoques, RH, em negócios familiares. É autor dos áudiolivros “As 10 Dicas para Sucesso da Empresa Familiar” e “Sugestões para Solucionar Problemas na Gestão Familiar”. em:prof.almeidamariano@gmail.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *