Cliente? Como Assim?

15 de Setembro, dia do cliente.

Uma data por muitos ignorada, por outros apenas uma data comercial.

Contudo, uma reflexão importante neste dia é fundamental: O que é o cliente para você?

Para alguns, cliente é quem paga as contas.

Para outros, cliente é quem incomoda.

Para outros ainda, cliente é quem prestamos serviços.

Um misto de tudo isto e muito mais, não é mesmo?

Cliente é um relacionamento.

Um relacionamento que começa como um namoro, onde cliente e prestador de serviço se conhecem, ambos encontram algo em comum e começam a se relacionar.

Passa o tempo, a relação se desgasta um pouco, mas continuam trocando negócios, afinal, já são conhecidos.

Mais algum tempo e a mesma coisa que pode salvar todos os casamentos deve acontecer com o prestador de serviços, sob pena de término de tudo: Cuidar da relação.

 

Assim como muitos casais, empresas deixam seus clientes a ver navios depois de contratados. Esquecem que estes clientes pagam suas faturas em dia, esquecem que os serviços que são prestados pela sua empresa também o são por inúmeras outras…

Alguns sequer querem atender estes clientes mais… Deixam o telefone tocar, não agendam horário, sequer se preocupam em qualificar outros profissionais de atendimento para a segurança do cliente seja mantida…

Em bom português com uso de jargão popular: ‘quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência’.

Compreendeu?

Quer crescer? Aprenda que quem já é cliente merece tanto ou mais respeito daquele que ainda não é.

O que é novo seduz, não tenho dúvidas. Contudo, cativar um novo cliente é cerca de 50% mais difícil que manter um já cliente.

E se você acha que o atual cliente apenas estorva, esqueceu que ele já confia em você? Que ele pode ser um potencial cliente novo(?) para novos produtos do escritório?

Se ele foi seu cliente numa ação de massa, tipo FGTS, porque não ele ser novo cliente numa ação trabalhista ou num inventário?

Porque não investir em quem já confia no seu negócio?

Cliente? Como assim?

Um relacionamento que pode nunca ter fim. Ou pode sim. Depende unicamente de você esta decisão e atitude.

Artigo escrito por Gustavo Rocha Sócio da GestãoAdvBr – Consultoria em Gestão e Tecnologia Estratégicas Sócio da Bruke Investimentos www.gestao.adv.br |http://www.bruke.com.br Contato integrado: gustavo@gestao.adv.br [Email, Skype, Gtalk, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *