Como O Eneagrama Pode Apoiar O Supervisor

“Só o homem forte consegue enfrentar suas fraquezas” – (ditado Sufi)

Aprofundamos nossos conhecimentos científicos e descobrimos soluções para problemas tidos como insolúveis. Já deciframos cadeias de DNA, mas o funcionamento da mente humana ainda representa um desafio para a ciência.

Utilizado como uma importante ferramenta em campos de atuação como a Psicologia, a Educação e a área de Recursos Humanos de empresas em mais de 33 países, o eneagrama viabiliza o profundo conhecimento de nós mesmos e daqueles com quem convivemos.

Introdução

Você já parou para pensar na sua empregabilidade? E em como melhorar seu desempenho? Como anda a sua comunicação? Apesar de estudar, ser responsável, conhecer bem nossa área de trabalho, ainda não basta. Precisamos aprender a conviver com pessoas diferentes de nós, aceitando-os e, acima de tudo, nos aceitando como somos.

Você se conhece bem? Você já observou as pessoas que trabalham com você? Você já reparou em todas as teorias que existem para mostrar as diversidades psicológicas das pessoas?

Na mitologia grega, por exemplo, já existia uma classificação de tipos, na qual Apolo simbolizava o Espírito, Prometeu, a Ciência, Dionísio, o Prazer e Epimeteu, o Dever; depois veio Hipócrates, que classificou o ser humano em: sanguíneo, fleumático, colérico e melancólico.

O médico grego Hipócrates (377 aC) referiu seus quatro temperamentos (sanguíneo, melancólico,colérico e fleumático) a diferentes “humores corporais” (sangue, bile negra, bile amarela e muco).

Na era moderna, a diversidade psicológica tem sido estudada a partir de dois focos: o psicanalista e o psicoimunológico.

Ernest Kretschmer (1888-1964) estudou a conexão entre a constituição do corpo e a tendência para certos sofrimentos psíquicos. Distingue três tipos somáticos:

1. O pícnico (baixote) – tendência a doenças maníaco-depressivas;

2. O leptossômico (magro e esguio) – tendência a esquizofrenia e

3. O atlético – tendência à epilepsia.

Freud estudou os instintos e Carl Jung (1875-1961), seu principal discípulo, duvidando do poder absoluto do instinto afirmou que os humanos diferem pelas suas preferências pessoais. Ele parte do princípio de que há três pares de funções que são distintos em toda pessoa: extroversão-introversão; sensação-intuição; pensamento-sentimento. Cada pessoa privilegia oportunamente uma das duas possibilidades. Daí resultam oito combinações possíveis ou tipos como, por exemplo, o tipo pensamento intuitivo-extrovertido ou o tipo sentimento sensual-introvertido.

Baseado em Jung, o Myers-Briggs Type Indicator elabora um teste compacto e rico na identificação de temperamentos humanos, que distingue 16 tipos, e é muito empregado nos EUA.

Karen Horney (1885-1952) cita originalmente três modos diferentes de como a pessoa procura dominar seu medo, sua angústia vital: submissão (voltar-se para outras pessoas), hostilidade (agressão contra outros), retraimento (isolamento com relação aos outros). Mais tarde desenvolveu um modelo em que apresenta as quatro principais maneiras que as pessoas usam para proteger-se contra seu medo fundamental: amor, submissão, poder e distanciamento. Este modelo corresponde mais ou menos ao esquema desenvolvido pelo psicanalista e astrólogo Fritz Riemann (1902-1979). Ele parte de quatro medos básicos da pessoa: 1-medo da proximidade; 2-medo de distância; 3-medo de mudança; 4-medo de estabilidade. Disso resultam quatro tipos fundamentais: o esquizóide, o depressivo, o obsessivo e o histérico.

Todos esses modelos procuram – sob diferentes pressupostos – levar em conta a experiência de que as pessoas são muito diferentes, mas que também há pessoas profundamente semelhantes. Cada uma dessas tipologias pode ser comparada a um mapa que visa facilitar a visão geral do reino da alma humana. Assim como existem mapas cujo objetivo principal é mostrar o aspecto geológico, político ou viário, também as tipologias têm interesses peculiares e, por isso mesmo, têm pontos fortes e fracos. Nenhuma delas é universal e nenhuma delas detêm a verdade exclusiva.

Todas as tipologias têm a desvantagem de desconsiderar, forçosamente, a singularidade, originalidade e peculiaridade do indivíduo. A descoberta de “regularidades” no comportamento humano só tem sentido quando existe a possibilidade de mudança e de libertação do peso do determinismo. Esta possibilidade é oferecida pelo eneagrama.

Histórico

O Eneagrama é o estudo dos nove tipos básicos de pessoas. Surgiu há muitos séculos nas irmandades Sufi, no Oriente Médio. Foi trazido para a Europa na década de 20 pelo cientista grego-armênio G. Gurdjieff e chegou aos Estados Unidos na década de 60.

Segundo o Instituto de Estudos do Eneagrama – IEE, o eneagrama é ensinado em importantes universidades dos Estados Unidos e da Europa. Dentre estas está a Universidade de Stanford, na Califórnia, EUA, cujo Diretor do Departamento de Ciência e Comportamento, o psiquiatra David Daniels, vem periodicamente ao Brasil ministrar cursos.

Por que o Eneagrama está hoje se difundindo rapidamente e, principalmente nas empresas? Com o mercado de trabalho sofrendo significativas mudanças e com os empregos estáveis e sólidos deixando de existir, pouca gente acredita que vai encerrar sua carreira na mesma empresa.

Quem está pensando assim, já está procurando se capacitar o mais breve possível. Essa capacitação não é só na sua área específica de trabalho, mas também em outras áreas, numa visão mais holística desse novo mercado de trabalho.

Apesar da existência de um vínculo frágil entre empregados e a maioria dos empregadores, as empresas vêm exigindo mais produtividade e disponibilidade de seus empregados, gerando um total envolvimento do indivíduo com o seu trabalho e/ou seus cursos, em detrimento de sua vida familiar.

Diante dessa realidade há quem fique profundamente estressado. A instabilidade e a pouca convivência familiar podem gerar medo, insegurança e improdutividade em boa parte dos profissionais. Entretanto, algumas pessoas vivenciam bem a situação normalmente porque têm um projeto pessoal que independe das circunstâncias. São pessoas que apostam em si mesmas como profissionais, gostam do que fazem e acreditam em seu valor não só profissional, mas também em outros setores de suas vidas. Essas pessoas têm em comum um maior grau de conhecimento de si mesmas.

Logo, quanto mais nos conhecermos e aos outros, melhor será a nossa comunicação.

Com o Eneagrama podemos conhecer nossa tipologia e avaliar nossas potencialidades e fraquezas. É um instrumento importante para melhorar o relacionamento com a família, os amigos e os colegas de trabalho.

O Eneagrama É Um Caminho De Sabedoria Para O Mundo Interior.

A Responsabilidade Do Supervisor

O supervisor tem uma delicada missão perante sua equipe, o de ser responsável pelo seu desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional. E como educador de seus colaboradores estará se perguntando: Como estou direcionando o meu pessoal? Será que esse é o melhor caminho? Vamos conseguir atingir as metas estabelecidas?

Acreditamos que essa não é uma tarefa das mais simples. Conscientizar os empregados de seu papel dentro da Petrobras, principalmente dentro desse cenário de mudanças constantes em que estamos vivendo, leva um certo tempo.

Cabe ao supervisor ser esse grande facilitador da comunicação. É ele quem repassa as informações que vem da direção da companhia para a sua equipe, esclarecendo as dúvidas e alinhando o desempenho dos empregados para o alcance dos resultados esperados pelo seu gerente. E é ele também que entende e ouve as sugestões de trabalho, propostas de mudanças, críticas e elogios dos seus colaboradores.

Com esse papel tão importante, é preciso que o supervisor tenha acesso ao máximo de informações que poderão facilitar o seu trabalho diário junto à equipe. Quanto mais instrumentalizado ele estiver, mais seguro ele vai se sentir em relação ao seu trabalho e, conseqüentemente, melhor vai saber lidar com a sua equipe.

“Quando olho o mundo, não é o mundo que vejo e sim o que sou”

Eneagrama:

O Eneagrama é um resumo das mais variadas formas de comportamento, contendo nove tipos básicos e suas respectivas combinações. É representado por um círculo contendo a forma de uma estrela de nove pontas.

O Eneagrama estuda o ser humano, tanto no seu interior como nos seus condicionamentos externos, convidando-o a conhecer-se a si mesmo para superar-se.

Tipologia

1. Perfeccionnista

1. Doador
2. Desempenhador
3. Artista
4. Observador
5. Protetor
6. Generalista
7. Líder
8. Pacificador

Afinal, como o eneagrama pode nos apoiar?

Trabalhando com o Eneagrama desenvolvemos uma compreensão mais profunda dos outros e descobrimos alternativas para nossos próprios padrões de comportamento. Libertamo-nos de estratégias desgastadas de encarar a vida e começamos a ver as coisas de um ponto de vista mais abrangente.

E Como Pode Apoiar A Empresa?

Utilizando o Eneagrama, a empresa adquire o conhecimento da estrutura de funcionamento de cada indivíduo e das suas motivações profundas. Na prática, essas informações podem aumentar a capacidade da empresa de assumir responsabilidades, melhorar e tornar mais coerente sua imagem perante seus empregados. Com isso, as equipes de trabalho vão aprimorar a comunicação, garantindo a certeza de compreender e ser compreendido, vão também desenvolver a criatividade e a flexibilidade, além de diminuir os conflitos de poder.

Enfim, o Eneagrama auxilia a empresa a adequar o empregado ao cargo, dando-lhe a oportunidade de desenvolver-se pessoal e profissionalmente.

Nenhum tipo é considerado melhor que outro. Todos têm suas “grandezas” e suas “fraquezas”.

Toda pessoa é um tipo básico de personalidade e apenas um. Pode-se mudar de várias maneiras, mas o tipo básico permanecerá sempre o mesmo.

As descrições de cada tipo são universais e se aplicam tanto a homem quanto a mulheres.

Nem tudo que é descrito para um tipo se aplica a ele o tempo todo. A manifestação de seus traços psicológicos dependerá de seu estado de saúde mental.

Dependendo da cultura ou do grupo social a que pertence, um tipo pode ser mais desejável que outro, mas não melhor.

A classificação de uma pessoa segundo um determinado tipo é feita por cada um, segundo sua própria percepção interna.

“Você se torna escravo de tudo que você nega”.

Principais Traços De Cada Tipo

1 – Perfeccionista

Se esforça muito para corrigir as próprias falhas;

Tem dificuldades em relaxar e em ser espontâneo e brincalhão;

Odeiam perder tempo

Sente-se frustrado porque nem ele nem os outros são o que poderiam ser

Considera sua ética e moral superior à dos outros

Vê as coisas em termos de certo ou errado, bom ou mau

Parece se preocupar mais do que as outras pessoas

Parece sempre apressado como se sentisse que não tem tempo para o muito que tem a fazer

Precisa se sentir responsável o tempo todo. É dominado pelo tempo.

Precisa ser perfeito para ser amado e reconhecido.

2 – Doador

Muitas pessoas dependem de sua ajuda e generosidade

Normalmente elogia, adula e agrada mais do que critica.

Não sente que tenha tantas necessidades quanto os outros

Necessita ser importante na vida dos outros

Gosta de salvar as pessoas quando elas estão com problemas ou em situações embaraçosas

Sente-se, às vezes, enganado pelas pessoas, como se estivesse sendo usado por elas.

Acha mais fácil fazer as coisas pelas pessoas do que por si mesmo

Considera-se responsável pelas relações. É muito sedutor

Ocasionalmente, experimenta um sentimento de injustiça por não receber o suficiente em troca do que dá.

É compelido a ajudar outras pessoas mesmo contra a vontade.

3 – Desempenhador

Identifica-se com precisão e profissionalismo. Atualizado

Gosta de meta definida e saber quais as chances de alcança-las

É muito importante projetar uma imagem bem sucedida. Normalmente tem estórias de sucesso

Geralmente prefere envolver-se nos aspectos de mudança do que naqueles de continuidade do trabalho

Sente-se invejado pelo muito que conseguiram

Quando relembra o passado, tenta pensar no que fez de bom e certo do que naquilo que fez mal ou errado.

Gosta de trabalhar em equipe e é bom chefe e líder

Acha que a aparência é muito importante e é muito desejado e admirado

Considera-se pessoa que tem muita energia positiva. Pode se identificar tanto com o trabalho que faz ou com o papel que está desempenhando a ponto de esquecer quem realmente é.

4 – Artista

Acredita que a maioria das pessoas não aprecia a verdadeira beleza da vida

As artes e a expressão artística são muito importantes para direcionar sua emoção

O meio-ambiente é muito importante para ele

Possui uma nostálgica compulsão pelo passado

Boas maneiras e bom gosto são relevantes para ele

Normalmente tenta parecer casual e natural

Possui grande atração por manifestações simbólicas

Constantemente está preocupado com o sofrimento, a perda e a morte

Acredita que as outras pessoas não sintam tão profundamente quanto ele

Não pensa em si mesmo como pessoa comum.

5 – Observador

Tenta resolver o problema pensando

Precisa de muito tempo e espaço privado. O tempo é sempre escasso

Gosta de fazer associação mental, sintetizar e juntar idéias.

Prefere ficar à margem dos acontecimentos, observar as pessoas e não se comprometer.

Não consegue manter conversas superficiais e não costuma ser generoso

Fica embaraçado quando questionado sobre sentimento e normalmente não responde o que está pensando

Quase sempre deixa os outros tomarem a iniciativa

Sente-se constrangido em pedir o que necessita e vive com o mínimo de tudo

Tem muita dificuldade em se auto-afirmar

Guarda os sentimentos para ele mesmo

6 – Protetor

Prefere ter as coisas esquematizadas do que em aberto

Gosta de estar inteiramente certo antes de agir

Parece estar sempre se defendendo e se justificando

Está sempre atento e sensível às contradições

A lealdade do grupo é muito importante para ele

Leva muito tempo para decidir porque precisa explorar inteiramente as conseqüências das ações

Acha difícil contrariar o que diz a autoridade

A tendência dele é prosperar na vida baseado no senso do dever e da responsabilidade.

Considera que sem regras definidas ou leis estritas é muito difícil dizer o que as pessoas podem e não podem fazer

A virtude mais importante para ele é a “prudência”

7 – Generalista

Acredita que existem muito poucas coisas na vida que não possam desfrutar

É muito entusiasta acerca do futuro

Gostaria que as pessoas fossem menos preocupadas com as coisas

Normalmente gosta de contar casos engraçados e sempre sabe a “última piada”

De uma forma geral, encara as coisas mais pelo seu lado alegre do que pelo seu lado negativo.

É consumista e tem uma irresistível atração pelos últimos lançamentos do mercado

Acredita que as coisas irão acabar bem

Gosta de alegrar as pessoas e prefere que os vejam como pessoas felizes e brincalhonas

Evita, sempre que pode, entrar em programações mais sérias.

Está sempre interessado em tudo, mas prefere pular de uma coisa para outra do que entrar numa em profundidade.

8 – Líder

Não se incomoda muito com introspecção ou auto-análise

Não tem a menor dificuldade em expressar a própria insatisfação com as coisas ou pessoas

Considera-se bom trabalhador e acha que sabe como fazer as coisas acontecerem

Descobre com facilidade o ponto fraco dos outros e usa isso se for provocado

Considera a justiça e a injustiça como pontos chave para ele

Acha que as outras pessoas é que criam seus próprios problemas

Costuma proteger as pessoas que estão sob sua autoridade ou jurisdição

Detesta se sentir acuado ou ser obrigado a se adaptar

Normalmente se considera não-conformista e não consegue deixar as coisas como estão

Sente um prazer quase sexual no desfrute do poder.

9 – Pacificador

Está em paz e calmo. Faz 2 coisas, sem importância, ao mesmo tempo: Ler/TV

Necessita de estímulo para manter-se ativo

Acha que a maior parte das coisas da vida não vale o aborrecimento

Pode ser árbrito imparcial porque para ele, em geral, um lado é tão bom como o outro.

Orgulha-se de ser pessoa estável

Embora reconheça que as pessoas possuem diferenças, acredita que a maioria se assemelha.

Não espera reconhecimento, nem sucesso, nem poder, nem admiração, gosta mesmo é que todos estejam em harmonia.

É teimoso – concorda, mas só faz o que quer.

Geralmente não se entusiasma demais com as coisas. Evita conflitos

Considera-se pessoa extremamente fácil de lidar

Dá desculpas esfarrapadas.

Acredita que existe muita pouca coisa no mundo que não possam esperar até amanhã, o tempo resolve problemas.

Não aceita ordens – é melhor dar três opções para escolher uma.

Como O Meu Tipo Reage Frente À Liderança?

1 – Perfeccionista

Considera ser importante haver ordem entre as pessoas e nas tarefas, tanto na vida quanto no trabalho. A operação deve seguir de acordo com procedimentos corretos. O foco da atenção está na ordenação correta das tarefas e na qualidade do trabalho e da honestidade entre as pessoas.

2 – Doador

Esse tipo tende a focar as necessidades das pessoas. Tem empatia com as preocupações alheias, por isso tendem a exercer autoridade a serviço dos outros. Eles gostam da gratidão e aprovação recebida pela ajuda prestada.

3 – Desempenhador

É focado na missão e nos resultados da tarefa. Seu desejo é atingir a meta pelo sucesso que isso representa. Compete pela fama e dá uma impressão favorável.

4 – Artista

O tipo quatro foca na pessoa enquanto indivíduo. Ele sabe o quanto é importante que as pessoas mantenham sua identidade numa organização. Por isso, cria um clima humanístico no ambiente de trabalho. O objetivo é que cada um seja respeitado pelo seu valor e sua dignidade.

5 – Observador

O foco do cinco é na estrutura racional e nos sistemas inteligíveis do mundo para ter certeza de que eles fazem sentido. Cada parte do seu mundo tem que se encaixar perfeitamente no conjunto e trabalhar sistematicamente dentro do contexto. Segue as regras econômicas e não multiplica tarefas sem necessidade. Gosta de economizar tempo, dinheiro e energia.

6 – Protetor

Sua atenção está em criar confiança, cooperação e comprometimento entre os membros do grupo. Quer que as decisões das autoridades sejam claras para que cada um saiba seu dever. Precisa de ordem e estabilidade no relacionamento interpessoal.

7 – Generalista

Seu foco é na satisfação e na inovação. Sabe que as pessoas precisam estar felizes com o que fazem. Gosta de ver a situação viva, se desenvolvendo, aberta a idéias inovadoras e gosta de trabalhar com projetos.

8 – Líder

Seu foco é o poder. Gosta de estar na posição de autoridade para poder efetivamente mobilizar as pessoas para desempenharem tarefas do jeito que eles querem que sejam feitas.

9 – Pacificador

Quer que a situação seja harmônica pela estabilidade que vem com a rotina. Gosta de ver as pessoas se dando bem e trabalhando pela paz.

Como descobrir o meu tipo?

Primeiro leia todos os tipos. Você pode se identificar, de imediato, com um deles. Se isso não acontecer, dê um tempo para você, muitas vezes a sua resposta vem através de uma evidente reação, manifestada após semanas ou meses. Podemos descobrir nosso tipo também após conversas com outras pessoas, ouvindo seus feedback.

Trabalhando O Nosso Tipo

Além do nosso tipo básico, que domina a nossa personalidade global, podemos ser influenciados pelos tipos de personalidade que se encontram ao nosso lado. Por exemplo, um tipo 1 (perfeccionista) pode ter algumas características do 9 (pacificador) e do 2 (doador). Chamamos a esses vizinhos de asas.

O seu tipo básico domina a sua personalidade global, enquanto que a asa o complementa e adiciona elementos importantes e às vezes contraditórios. Devemos levá-las em conta para nos entender melhor e aos outros.

O mais importante no eneagrama é observarmos o quanto usamos as características boas e más de nosso tipo como ponto de partida para cada vez mais sermos uma pessoa melhor e integrada.

É importante observarmos que há uma grande diversidade individual, incluindo inteligência, talento e experiência de vida.

Tipos diferentes podem parecer similares – tomar atitudes semelhantes, mas as motivações não são as mesmas.

Por exemplo: vários tipos podem ser mandões, só que dão ordens de formas e por motivos diferentes:

O tipo 8 (líder) – dão ordens como: faça o que eu digo porque tenho poder sobre você e o castigarei se me desobedecer;

O tipo 1 (perfeccionista) – manda como: mando porque tenho razão;

O tipo 2 (doador) – pode ser dominador, dão ordens dizendo: você não quer me ferir, não há razão para não fazer o que peço;

O tipo 6 (protetor) – podem dar ordens exibindo uma agressividade fanfarrona;

O tipo 7 (generalista) – podem exigir que cumpram as ordens.

Por aí vemos que é arriscado analisar por um único traço. É necessário ver cada tipo como um todo, seu estilo global, seu enfoque de vida e suas motivações básicas.

O Eneagrama Não É A Resposta, Mas Um Guia – Guias mostram o caminho, mas andar cabe a nós mesmos.

Conclusão

Todas as pessoas são uma mistura complexa de pensamentos, idéias, preconceitos e opiniões de pessoas e experiências que influenciaram suas vidas.

Sabendo o seu tipo no Eneagrama você percebe que há um conjunto de reações padronizadas e inconscientes em relação a um conjunto identificado de situações.

A verdadeira liberdade é limitada por valores aceitos automaticamente.

Repare como as pessoas se cercam de coisas que combinam com o seu sistema de valores. A escolha da vizinhança, da atividade social, do material de leitura, das preferências políticas, da prática religiosa etc, tudo reforça as opiniões, idéias, preconceitos e valores aceitos antecipadamente.

Quando colocado diante de alguém, que possui uma opinião diferente, a reação automática da maioria das pessoas é negar ou tentar desqualificar a validade da idéia dos outros e de suas crenças. Cegamente aceitos e não examinados, seus valores são sempre ameaçados por idéias e crenças diferentes.

Pessoas que receiam olhar para dentro, e que não assumem a responsabilidade pelas suas próprias ações, são limitadas e imaturas emocionalmente. As suas mentes se fecham e, consciente ou inconscientemente, permitem que julgamentos, rumores e meias-verdades se tornem a regra pela qual vivem suas vidas.

Sem um pensamento claro e original acerca de nossos próprios valores, nossas vidas ficarão sempre na mesma. A menos que busquemos entender claramente o que fazemos e por que fazemos, a vida será um ciclo interminável de experiências repetidas.

A liberdade interna ressurgirá somente quando começarmos a pensar por nós mesmos.

Que terrível desperdício seria viver e morrer sem nunca tocar ou sentir o gosto da liberdade de ser a pessoa que você foi criada para ser.

Dentro da sabedoria secreta do Eneagrama existem pistas escondidas que começam a revelar a possibilidade de neutralizar nossa fixação psicológica básica e libertar-nos, não da nossa personalidade, mas das suas dimensões destrutivas.

Bibliografia:

1 – O Eneagrama

Helen Palmer

Edições Paulinas

2 – O Eneagrama – As Nove Faces Da Alma

Richard Rohr

Andréas Ebert

Editora vozes

3 – Seminário Eneagrama

Odete Fernandes Freitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *