Comunicação

Entende-se por comunicação um laço ou ciclo que engloba no mínimo duas pessoas. Na comunicação uma ação provoca uma reação.
“A comunicação começa com os pensamentos, que comunicamos aos outros usando palavras, o tom de voz e a linguagem corporal. Mas o que são pensamentos? Existem muitas respostas científicas diferentes; entretanto, todo mundo conhece no seu íntimo o que o pensamento é para si próprio. Uma maneira de entender o que é o pensamento, é perceber que estamos usando nossos sentidos internamente.”
O’Connor e Seymour, (1995:43)
Reagimos de acordo com nossos sentimentos e pensamentos. O comportamento é gerado pelas representações mentais que temos, onde novamente surge a interferência dos mapas.
Segundo Robbins, “Para nos comunicarmos efetivamente, devemos compreender que somos todos diferentes na maneira como vemos o mundo, e usar esse entendimento como guia para nossa comunicação com os outros.” (1987:225)
Na comunicação a percepção até pode coincidir com a intenção pretendida, mas geralmente não é o que ocorre. Neste caso, há de se rever a mensagem e adotar novas estratégias de comunicação.
Comunicação não pressupõe apenas palavras escrita ou falada, compreende fundamentalmente outras partes de nossas capacidades de expressão como: Linguagem corporal ( postura, gestos e contatos visuais ). Contudo, se quisermos saber o significado da comunicação, devemos observar a reação obtida com os sinais que emitimos.
Quando nos comunicamos não é somente o que falamos, mas a maneira como falamos, também é muito representativa e significativa no processo de comunicação.
Segundo, O’Connor e Seymour,
“as palavras são o conteúdo da mensagem, e a postura, os gestos, a expressão e o tom de voz são o contexto no qual a mensagem está embutida. Juntos eles formam o significado da comunicação” ( 1995: 35)
Ainda segundo estes autores, a comunicação corporal corresponde a 55% do total das formas como nos comunicamos, as palavras correspondem 7% e o tom de voz 38%
“Usamos constantemente nossas habilidades de comunicação para influenciar pessoas. Qualquer procedimento de terapia, gerenciamento ou educação exige capacidade de influenciar e comunicar. Mas existe um paradoxo: Embora ninguém esteja interessado em aprender técnicas que não sejam eficientes pode ser rotulada como manipulação negativa de que algum modo se estaria forçando o outro a fazer algo que contraria seus interesses.
Não é certamente o caso da PNL que é construída sobre profundos alicerces de sensatez, opções e ecologia. A PNL proporciona a capacidade de reagir de maneira eficaz aos outros e de compreender e respeitar seu modelo.”
Joseph O’Connor e John Seymaur, (1989:35,36)Nosso sucesso ou fracasso decorre daquilo que pensamos e o que fizemos com o que pensamos. Não basta simplesmente obtermos informações, elas são úteis e nos proporcionam maiores opções de escolhas. No entanto, a flexibilidade e a habilidade de agir são aspectos essencialmente importantes na obtenção de resultados e sucesso.
Se desejamos o sucesso é necessário que dominemos o movimento da comunicação. Entendermos que neste ciclo há uma causa e um efeito.
O que acontece conosco é determinado pela forma com que nos auto comunicamos e também da nossa comunicação com as outras pessoas. A qualidade dessa comunicação, implica na qualidade de vida que desejamos ter. Portanto, só podemos promover nossa qualidade de vida se em nossos mapas, tiver convicções ilimitadas fundamentadas em atitudes voltadas para resultados.
Segundo, Robbins,
“Comunicação é poder. Aqueles que dominam seu uso efetivo podem mudar sua própria experiência do mundo e a experiência do mundo sobre si mesmos. Todo comportamento e sentimento encontram suas raízes originais em alguma forma de comunicação. Aqueles que afetam os pensamentos, sentimentos e ações da maioria de nós são aqueles que sabem com usar esse instrumento de poder.” ( 1987:23)
É crescente a fascinação que percebemos nos indivíduos diante do desenvolvimento da informática no final do segundo milênio e início do terceiro.
Hoje, quando falamos em comunicação, temos disponíveis todos os recursos viabilizando a “otimização” da comunicação. Isso no que se refere a tecnologia. No local em que passamos a maior parte do tempo, que é o trabalho, nos comunicamos a todo instante através de uma máquina chamada computador, ou de um aparelho denominado telefone. Ainda temos a nosso dispor secretárias eletrônicas, voice mail, internet, fax entre outros.
Com esses meios de comunicação, aceleramos processos e com isso diminuímos a eficácia da comunicação , perdendo o foco da informação. No entanto ganhamos tempo para desenvolvermos outras atividades na correria do dia- a dia de trabalho.
Contudo, no que concerne às relações humanas, percebemos o quanto elas se tornam mecânicas, estabelecendo vínculos “frios” na comunicação e consequentemente nos relacionamentos.
Outro aspecto que podemos considerar como limitador nessas relações é a diminuição das possibilidades. São muitas as vezes que uma decisão se restringe a uma única possibilidade e nessa única vez, nos encontramos impossibilitados de sermos assertivos. Não disponibilizamos de tempo para negociações e nem deixam aflorar nossa flexibilidade.
O que permeia essa comunicação são pessoas com “pavios” mais curtos provocados pela ansiedade gerada pela necessidade de comunicação interpessoal direta, ou seja, da comunicação locutor interlocutor olhando olho no olho. O ser humano necessita de afeto, de carícias e o contato direto com outras pessoas propicia isso.
Percebemos um ambiente formado por contradições. De um lado nunca ouvimos tanto falar em trabalho em equipe e habilidades de relacionamento interpessoal, como neste final de século. De outro lado há uma tendência forçada em tornar o ser humano cada vez mais isolado dos seus colegas, seja no trabalho, nas escolas e até mesmo nos contatos sociais. O advento da internet é uma ilustração disso. Pessoas mantém vínculos de amizades e até mesmo amoroso sem nunca terem estado frente à frente. Outra novidade são os cursos de pós graduação à distância, onde o aluno assiste aulas via grupos que se encontram em salas virtuais com a orientação de um professor, ou através de videoconferências.
Aos contatos humanos, não estão sendo dadas a devida importância quanto, a qualidade e harmonia nos relacionamentos, por aqueles que interagem a relação. Dessa forma é que, as convivências encontradas num estado não desejado, nos levam às frustrações e descontentamentos.
Não devemos no entanto, cruzar os braços e negligenciarmos as nossas relações. Cabe a cada um repensar a forma que quer se comunicar, lembrando sempre que é primordial para o ser humano o contato com seu semelhante, sendo que o sucesso ocorre da qualidade de relacionamentos que o indivíduo estabelece na esfera social, familiar e no trabalho.
Tendo em vista que nossas crenças e valores foram desenvolvidos por nós, cabe a nós mesmos repensá-los e se necessário reprogramá-los. Neste sentido cabe a pergunta: Estamos preparados ou nos preparando para novos desafios no que se refere a arte da comunicação? Se em nosso sistema de representação estamos nos colocando como vítimas, é hora de nos propormos mudanças, fazendo reflexão sobre nossos objetivos. Vale saber que somos 100% responsáveis pelos sucesso que desejamos.
“Descubra o pássaro que existe em você. Na construção das asas ocorre a transformação”D’ Aquino   Fonte: www.grupodesenvolver.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *