Comunicação E Relacionamento Interpessoal No Terceiro Milênio À Luz Da Pnl

Estamos vivendo tempos de complexidade dos relacionamentos, onde os canais de comunicação a cada dia ficam mais bloqueados, eu falo “a” e o meu interlocutor entende “b”. Um dos fatores para a compreensão deste fenômeno pode ser a correria do dia – a – dia. Diante da velocidade em que as coisas acontecem, já não temos mais tempo para ouvir uma mensagem por inteiro, ouvimos apenas parte dela e deduzimos o resto. É desta forma, que os relacionamentos vão se desgastando ou pelo menos se complicando.
Para uma melhor compreensão deste assunto faz-se pertinente uma breve retrospectiva de como os relacionamentos e os processos de comunicação vem evoluindo.
Houve um tempo em que se podia esperar. Almejar algo que pudesse ser encontrado no outro. Foi uma ocasião de incertezas no anseio de obter todas as satisfações e realizações oriundas do outro e não de si próprio.
Não havia reflexões, tudo caminhava na expectativa de que, se o outro mudasse alcançaria-se a plenitude da realização sem que houvesse portanto, a necessidade de empenho de auto conhecimento.
Muitos sobreviveram com esse conceito. Infelizmente com uma péssima qualidade de vida. Mantiveram suas vidas alicerçadas nas substâncias químicas e velejadas no mar da riqueza material onde, o status transcendia todos os aspectos espirituais e de sobrevivência plena.
A arrogância, a mentira, o engano a si próprio e a ausência de verdadeiros amigos. Tudo isso prevaleceu, no intuito de aparentar que o indivíduo era um ser auto-suficiente, podendo sozinho realizar todas as coisas. Não necessitando portanto de estar em conformidade com um poder superior conhecendo e vencendo a si próprio, transcendendo as crenças do passado.
Chegando ao terceiro milênio é percebido que o tempo de esperar acabou, não se pode mais viver o “faz de conta”. A lei que transcende todas as coisas traz à tona o imput que o homem não sabe o que significa, mas percebe um despertar que o torna vulnerável e o conduz à busca de um direcionamento para o bem.
É um mecanismo que ocorre não simplesmente quando todas as coisas tem seu fluxo “natural” satisfazendo todas as necessidades de sobrevivência, tais como, as de ser amado, ser reconhecido e ter afeto. Sobretudo, no momento em que o indivíduo não suporta todas essas carências, ele reage em sobressaltos.
Entretanto, o homem tem uma capacidade inerente de realizar todas as coisas. Porém, ele não é um ser único que não depende das autênticas relações.
Neste sentido, o direcionamento para a promoção humana de forma a conduzir a vida para um lado mais prazeroso é a aplicação de ferramentas que viabilizam a excelência da comunicação e dos relacionamentos.
O ser humano tem três maneiras básicas de relacionamento, sendo elas, familiar, social e trabalho. De uma forma geral relacionar-se com pessoas é uma tarefa difícil que exige habilidades e esforços, porém dependendo do grupo em que estamos inseridos precisamos de cuidados especiais.
Na família e na esfera social muitas vezes a mentira e o “faz de conta” mantém o status quo, ou seja, fazemos de conta que tudo está bem e continuamos na mesma situação, mesmo não sendo o ideal de ralação que buscamos. Contudo, é no trabalho que o homem coagido pelo sistema, desintegra-se podendo vir a adoecer, uma vez que, no trabalho o indivíduo pode sofrer pressões e até vir a não se adaptar ao local ou atividade. Permanecer em um ambiente inadequado pode gerar o que chamamos de doenças psicossomáticas, pelo fato de corpo e mente fazerem parte de um só sistema.
Houve um período em que se falava apenas da otimização das máquinas e do trabalho, porém, chegando ao terceiro milênio, podemos notar que já se fala em otimização dos relacionamentos. Isso porque, a lei que rege todas as coisas, não oferece outra saída . Há de se ater às leis secretas do universo.
Dentro deste contexto surge a Programação neurolingüística proporcionando ferramentas eficazes para auxiliar o homem em novos padrões de relacionamento e comunicação que surgirão com a modernidade do terceiro milênio.
“Nós construímos amizades como construímos casas, mas as descobrimos, como musgo, sob as folhas de nossa vida, escondidas em nossas experiências” Willian Roder
O estudo deste tema “comunicação e relacionamento à luz da PNL”, tem por objetivo explorar caminhos que contribuam para um aprimoramento no ato de relacionar-se bem, ou seja, usufruir o lado prazeroso da vida.
Sem a pretensão de abranger o vasto conteúdo que o tema implica, porém, como o firme propósito de aqui estabelecer uma nova maneira de estar e perceber-se dentro do relacionamento.    Fonte: www.grupodesenvolver.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *