Comunicação Humana E Aprendizagem

Não é de espantar que ainda hoje padecemos com sérios problemas de comunicação entre as pessoas: gerentes e colaboradores; candidatos e eleitores; professores e alunos. À medida que o emissor está plenamente convencido de que comunicou bem e o interlocutor ou receptor com movimentos cervicais (aqueles que balançam a cabeça) afirma que entendeu.
Essa situação é muito antiga e o pensador grego Demócrito (cerca de 460-360 a.C.) já observava e se preocupava com ela. Contrariando a opinião dominante no mundo antigo, o pensador afirmava que as palavras são estranhas às coisas que representam e são sinais puramente convencionais. Alguém, em algum momento da história da vida, entendeu que devia ser assim. De fato, nas diversas línguas empregam-se nomes diferentes para indicar o mesmo objeto.
Os homens das gerações primitivas, levando uma vida sem leis, semelhante à vida das feras, saiam para os pastos, dispersos, colhendo a erva que era mais agradável ao paladar e os frutos que as árvores produziam. Eram continuamente agredidos pelas feras. A realidade ensinou-os a se ajudarem mutuamente e se reunindo em sociedade sob o impulso do temor, começaram pouco a pouco a se reconhecer pelo aspecto.
Enquanto antes pronunciavam palavras desarticuladas e desprovidas de significado, aos poucos passaram a articulá-las, estabelecendo entre si expressões convencionais para designar cada objeto.
Mas posto que tais agrupamentos de homens se formaram em todas as regiões habitadas da Terra, não pôde existir uma língua de igual som para todos, pois cada um daqueles grupos combinou os vocábulos ao acaso. Eis porque são variadíssimas as características das línguas e porque os primeiros grupos deram origem às diversas nações.
Aqueles primeiros homens, portanto, viviam em meio a dificuldades, porque nada ainda se encontrara de tudo quanto é útil à vida. Eram desprovidos de qualquer vestimenta, não estavam acostumados a ter uma habitação e a usar o fogo, além de desconhecer totalmente alimento que não fosse selvagem. Não faziam qualquer provisão de frutos para a eventualidade de que esses viessem a faltar, motivo pelo qual, durante o inverno, muitos deles morriam, fosse de frio, fosse por falta de alimento.
Mas não tardou muito e eles, instruídos pela experiência, refugiaram-se nas cavernas durante o inverno e guardaram aqueles frutos que eram próprios para serem conservados.Conhecidos depois o fogo e as outras coisas úteis à vida encontraram um pouco mais tarde as artes e todos os meios que podem trazer benefício à vida em sociedade. Assim, o uso em si foi mestre de todas as coisas para os seres humanos, tornando familiar o aprendizado de cada habilidade a estes seres que têm as mãos, a razão e a versatilidade da mente como colaboradores para todas as eventualidades.
A comunicação sabemos, é transmissão de informação. A comunicação eficaz quando tanto o transmissor quanto o receptor interpretam a mensagem da mesma forma; a comunicação é eficiente quando as mensagens são transferidas a um custo baixo.
A filosofia da comunicação compreende, entre outras, as seguintes questões: determinar se a comunicação é essencial ao pensamento, se devemos nos contentar em tornar as palavras como meros veículos de pensamentos e idéias independentes delas, e determinar o que distingue sistemas de comunicação rudimentares como aqueles que os animais aparentam/podem possuir, de uma linguagem totalmente dotada de significado.
E a comunicação organizacional?
Comunicação organizacional é o processo específico por meio do qual a informação movimenta-se dentro de uma empresa e entre a organização e seu ambiente. A organização depende de fluxos complexos de informação ascendentes, descendentes e laterais, para funcionar eficazmente. Grupos de interação com redes de comunicação descentralizada tendem a funcionar bem em tarefas complexas; grupos co-atuantes com redes centralizadas podem funcionar bem em tarefas simples;redes de comunicação restritas são comuns em grupos contra-atuantes, envolvendo discórdias entre subgrupos.
A nova tecnologia eletrônica da comunicação está mudando o ambiente de trabalho, mas tem potenciais vantagens e desvantagens. Dentre as questões atuais e controvérsias na comunicação organizacional, temos as diferenças de estilo de comunicação por sexo e preocupação sobre a privacidade e correção política.
Aprendizagens possíveis:
o temor e a utilidade recíproca fizeram nascer a sociedade;
a natureza das palavras é puramente convencional;
dado que o ser humano não se origina de um único tronco, não existe uma língua universal;
a invenção da linguagem favoreceu o nascimento das técnicas e, portanto, da civilização;
todos os conhecimentos foram aprendidos por meio da experiência, A inteligência reside tanto nas mãos quanto na mente.               Luiz Carlos Moreno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *