Criatividade: Alavanca Do Sucesso

Perguntas e respostas

Divagar, deixar o pensamento fluir, dar asas à imaginação, até que… click! A lâmpada acende e fragmentos soltos se convertem em uma grande idéia. Não tem jeito, nossa cachola vive em constante atividade. Ninguém consegue calar essa vozinha interior que não pára de tagarelar um minuto sequer. Mas é graças a esse monólogo, que a mente possui a incrível capacidade de tecer os maiores engenhos. Um dom que, uma vez apurado, pode nos ser extremamente útil, principalmente no trabalho. Hoje em dia, a criatividade é literalmente a alma do negócio.

Com o mercado cada vez mais concorrido, a lei que rege seu funcionamento passou a ser a do diferencial competitivo. Isso mesmo, não adianta ser igual a todo mundo. Se antes, bastava um diploma para estar empregada, agora ele não passa de pré-requisito, e somente quem se destaca consegue sair na frente. “As pessoas precisam identificar suas habilidades a fim de construírem algo diferente. Elas se tornam vencedoras quando exploram os dons naturais. É aí que entra a demanda pela criatividade, que nada mais é do que estruturar as próprias idéias de uma forma que ninguém pensou antes”, define Antonio Carlos Teixeira da Silva, criador e realizador do projeto Pense Diferente, que tem como objetivo ajudar empresas e profissionais a atingirem a excelência em inovação. Ser criativa no ambiente de trabalho está longe de representar um sinônimo para inventos mirabolantes. “É usar de maneira nova algum método, tarefa ou idéia dentro das próprias possibilidades”, acrescenta Gilberto Guimarães, diretor do Grupo BPI do Brasil, empresa de RH e recolocação profissional especializada.

Quem dorme no ponto não consegue acompanhar o ritmo dos que estão sempre visando novas estratégias. “Como a maioria dos mercados está esgotada, deve-se inovar freqüentemente para poder achar um espaço”, aconselha Gilberto Guimarães. Em face à velocidade com que as mudanças acontecem, nada como um profissional com o potencial criativo para ir cada vez mais longe. “Ele alavanca idéias para superar a si mesmo, ao mesmo tempo em que procura ultrapassar a concorrência. É lógico que isso vai se refletir no desempenho da empresa”, explica a Consultora de Recursos Humanos da Catho Patrícia de Mônica. Segundo ela, a criatividade é essencial em todos os cargos de uma organização, sobretudo nos de liderança. “Ajuda a ter uma visão mais abrangente para planejar táticas de motivação da equipe”, alega Patrícia, acrescentando que, só mesmo tendo muito jogo de cintura, para tomar decisões de forma rápida, ponderada e, se possível, inovadora.

Na tentativa de alcançar o topo, um grande número de empresas está apostando na contratação de profissionais criativos. “As organizações que valorizam a criatividade estão mais propensas ao risco. Por outro lado, possuem o maior potencial competitivo”, define Antonio Carlos Teixeira da Silva. Através de técnicas desenvolvidas pela área de RH, elas buscam saber se o candidato se enquadra nesse perfil já no processo de seleção. “As instituições sugerem perguntas cujas respostas não sejam sim ou não, certo ou errado. Além disso, apresentam situações hipotéticas para identificar a forma como a pessoa trabalha”, diz Gilberto Guimarães. Não existe um teste quantitativo ou método confiável, até porque, é no dia-a-dia de trabalho que isso será mostrado. A entrevista serve para se ter uma noção da sua veia criativa. “O candidato tem que formular novas alternativas, fora do lugar comum. Mostrar várias maneiras de ver uma situação”, descreve ele.

Apesar de, no mundo do tudo-ao-mesmo-tempo-agora, criatividade ser sinônimo de sobrevivência, quando as decisões precisam ser tomadas num piscar de olhos, não é raro a mente nos pregar uma peça: a lâmpada se apagar. Portanto, não se pode apostar todas as fichas na tal da inspiração. “Não adianta confiar só na criatividade. Achar que, na hora H, ela vai salvar”, declara Gilberto Guimarães. Isso porque a luz no fim do túnel, em certos momentos, custa a aparecer, principalmente operando sob pressão. “Nem toda decisão precisa ser inovadora. É uma questão de se fazer a escolha certa. Existem outras competências tão importantes quanto a criatividade, que devem atuar em conjunto com ela. O importante é o uso prático do que se criou”, avalia o diretor, afirmando que uma pessoa muito criativa pode dar a idéia e não saber executá-la. “Uma boa idéia mal implantada é uma má idéia”, sentencia o diretor da BPI, Gilberto Guimarães.

A criatividade é uma ferramenta que já nasce com a gente. Sabendo usá-la, ponto para você. Mas se a habilidade foi pouco desenvolvida, não desanime, um dom natural só vira excelência quando praticado à exaustão. O diretor da BPI, Gilberto Guimarães, indica técnicas simples que ajudam a exercitar a sua criatividade todos os dias. “Procure inventar novos usos para tudo que está à sua volta, mesmo as menores coisas. Pense em mudanças e em como desenvolvê-las. Se souber o resultado de uma ação, mude a forma. Transforme, brinque porque isso é bom e deve ser feito durante a vida inteira”, conclui ele. Maíra Donnici

One Response to Criatividade: Alavanca Do Sucesso

  1. Querida mestra apesar de muitas vezes não responder aos comentários sempre leio o que a sra posta.
    Saúde
    Paz e prosperidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *