Desejo

Imagem 45

“Desejo que você tenha a quem amar, e quando estiver bem cansado ainda, exista amor pra recomeçar.  Pra recomeçar… Frejat!”

No meu aniversário, alguns anos atrás, uma pessoa muito querida me disse desejar que no novo ano de vida eu fosse muito amada.

Esta frase ficou em minha mente, reverberando… será? Será que ser amada ajudará na construção do meu bem-estar? Sim, com certeza! Mas isso é suficiente?

Lembrei-me então de todos aqueles a quem conheci e que, apesar de serem amados por seus familiares, amigos, companheiros de vida, sentiam-se depressivos, angustiados, infelizes, incapazes de sentir amor por suas vidas, por seus trabalhos, por seus pares.

Pessoas que procuravam o reconhecimento do outro como garantia de uma vida valorosa mas que, carentes, nunca se contentavam com o que tinham, com a vida que levavam.

Ser amado é muito bom, mas não é salvo-conduto para uma vida plena.

Quando a gente não se ama, ainda que sejamos adorados por multidões, trazemos a alma vazia, um sentimento de solidão e de desconforto, além de angústias indizíveis.

Quando não nos amamos surge um sentimento quase insuportável de ser estrangeiro em todo lugar, um sentimento de não pertencer.

E então eu desejei, fortemente, para mim mesma, que no meu novo ano de vida eu amasse muito. Não apenas a alguém em especial, mas a vida, meu trabalho, as pessoas que convivem comigo, meus familiares, meus sonhos, a cidade onde moro, o lugar onde vivo, aqueles que cruzassem me caminho.

Porque, ao amar, a vida se aquece, ganha um novo colorido, os minutos tornam-se mais alegres.

Amar o outro requer de nós desprendimento, maturidade, autoestima… sim, porque achamos, muitas vezes, que para amar alguém ele deve fazer por merecer.

Mas o amor que sentimos independe do que o outro é ou faz.

Podemos amar quem nos fere. Podemos inclusive escolher nos afastarmos daquele a quem amamos quando ele é destrutivo, por uma questão de amor-próprio.

Mas sentir amor, em grande quantidade e de qualidade, melhora a vida de qualquer pessoa onde quer que ela esteja.

Quem sente amor não se percebe só, porque a vida lhe é preciosa e porque carrega em seu ser todos a quem ama.

Assim, neste final de ano, desejo-lhe que no ano vindouro ame muito e preencha sua vida com um coração aquecido e enternecido! Thais Accioly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *