Desenvolvendo Técnicas e Habilidades Para Uma Interação Positiva

O mundo está mudando e está mudando em uma velocidade além da capacidade de absorção da maioria de nós.

Simplesmente não podemos aplicar muitas das soluções tradicionais para a complexidade dos problemas que surgem com as mudanças. O desafio é encontrar novas maneiras de lidar com elas.

As fórmulas e técnicas para a transformação organizacional e pessoal aparecem e desaparecem como modismos. A qualidade total, seus métodos e o “empowerment” buscam níveis de produtividade e satisfação que rompem paradigmas considerados invioláveis até recentemente.
Semente De Manga Não Dá Maçã

Não podemos agir simplesmente como alvo da mudança.

Esta é uma verdade. A interação como exigência é imprescindível. Caberá, então, a cada um de nós realizar um trabalho profundo como agente de transformação – o fato é que o salto de um estado para outro assusta muitos os que não encontram em si mesmos a capacidade de mudar internamente.

Cursos e treinamentos ajudam, mas dependem da predisposição individual e, como um recurso para a compreensão de como acontece de forma plena, engajada, sem resistências, a mudança, a imagem de uma árvore adequa-se perfeitamente para explicar o necessário processo de “dentro para fora”.

Se procurarmos mudar através de podar os galhos, podemos criar temporariamente a ilusão de que algo mudou. Porém os mesmos galhos de antes logo começam a crescer de novo. Se queremos mudar uma árvore, temos que mudar a semente. Semente de manga, por exemplo, não dá maçã!
A Comunicação

A comunicação é, depois da sobrevivência física, a mais básica e vital de todas as necessidades.

Não é só por meio de palavras que a comunicação se estabelece. Na verdade, a palavra representa apenas 7% da capacidade de influência entre as pessoas.

As palavras são importantes, mas para nos comunicarmos bem precisamos formar uma estrutura que dê mais poder à comunicação. Tom de voz e fisiologia, que é a postura corporal dos interlocutores representam 38% e 55% respectivamente desse poder.

Todos os seres humanos têm condições de exercer plenamente essa capacidade.

Esta é uma das mais importantes habilidades, base para o inter-relacionamento sadio e que propiciará que políticas e metas sejam bem divulgadas, compreendidas e absorvidas pela equipe.

A comunicação deve ser um processo caloroso, empático, de falar e ouvir, de entender, de perguntar e responder, praticado de forma ágil e clara, sem bloqueios e distorções. As distorções são causadas por ruídos, que acontecem por interferência de bloqueios físicos ou emocionais. Uma das mais nefastas distorções é a que redunda em “fofoca”, fruto de comportamentos venais, defensivos ou imaturos e que destroem relacionamentos e prejudicam processos e resultados.

Hoje, com a rede de telecomunicações, com os fatos sendo mostrados em toda a parte do mundo no momento em que acontecem, é necessário redobrar o cuidado com as mensagens, com a organização do pensamento e com a aplicação do código, pois se as transmissões são rápidas, o efeito que podem produzir também o é. É preciso, então, além de dar-se sentido, ter-se consciência nos seus objetivos e propósitos.

Desenvolver a comunicação em suas diversas linguagens também é importante. Saber ler gestos, compreender que o corpo fala, que o ambiente traduz um clima, é saber perceber indícios e sinais que podem ajudar na compreensão dos indivíduos como seres integrais e únicos, sejam clientes internos, externos ou fornecedores, e indicar a hora e a melhor maneira de agir.

Mas nas atribuições gerenciais, além das orientações quanto à habilidade na comunicação, uma necessidade se firma como exigência técnica, estratégica e competitiva: utilizar a percepção, a intuição, a atenção, a curiosidade, seus conhecimentos e desenvolver o hábito da leitura. Jornais, revistas e livros trazem notícias, esclarecimentos e novidades a respeito de assuntos que envolvam sua área de trabalho, o mercado, a concorrência, experiências bem sucedidas e muitos outros temas interessantes

A comunicação eficaz está ligada a um tipo específico de inteligência, como já vimos: a inteligência interpessoal. Saber distinguir os vários aspectos da troca de informações entre as pessoas, aplicando na prática esses conhecimentos, é ter mais poder de convencimento e de influência.

Solange Rizzo Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *