Dois Ouvidos E Uma Só Boca!

http://bloglog.globo.com/FCKeditor/UserFiles/Image/boca(1).jpg

A pessoa inteligente ouve mais e fala menos, por isso temos dois ouvidos e apenas uma boca.

Apesar de estarmos na era da palavra falada, do diálogo e da comunicação, as pessoas não sabem escutar. Não são boas ouvintes porque nossa capacidade efetiva de ouvir é pouco desenvolvida.

O importante é ouvir para “compreender” e não apenas para fazer pose. Ouvir vai muito mais além do simples ato de escutar.

Se ao chegar a uma festa e encontrar uma amiga de que gosto muito ela me diz: “-Nossa, Rita, este seu vestido está horrível…”.

O que eu penso? “-Bem, ela deve estar com algum problema para falar assim comigo ou talvez este vestido não tenha me caído bem…”.

Agora, se ao chegar a uma festa e encontrar uma amiga que detesto e ela me diz: “-Nossa, Rita, este seu vestido está maravilhoso!!!”.

O que eu penso? Hum, isto é inveja! Essa mulher é invejosa, um poço de inveja…

Não é assim mesmo?

E sabe por que isto acontece? Porque muitas vezes ouvimos apenas nosso sentimento e não o que realmente aquela pessoa quis expor.

A gente não ouve o que o outro diz. Houve-se o que o outro não está falando.

São os ruídos interferindo significativamente na comunicação.

E sofremos…

Sofremos porque, muitas vezes, pensamos ter ouvido aquilo que não foi verdadeiramente dito. Porque acreditamos que o que acabamos de ouvir é uma grande crítica destrutiva quando na verdade não é.

O desenvolvimento de algumas atitudes nos auxilia, sem sombra de dúvida, a edificar relacionamentos mais fortalecidos, a se conhecer melhor e, consequentemente, sofrer menos.

Controle suas emoções, pois elas podem se transformar em sérias barreiras a uma comunicação realmente eficaz.

E quando estamos em meio a uma discussão ferrenha? Bem, aí é que realmente não ouvimos o outro. Apenas nos preocupamos em preparar o que iremos dizer em seguida, assim que a pessoa calar a boca ou respirar. E muitas vezes, nem isso, pois atropelamos a sua fala, falando no mesmo instante que ela.

As pessoas apenas ouvem o que gostaria que o outro dissesse.

Elas apenas ouvem o que estão sentindo.

Apenas ouvem o que já pensava a respeito do que a outra pessoa está dizendo.

As pessoas costumam tirar da fala dos outros somente as partes que as interessam, que as agradam, que as incomodam, ou tudo aquilo que as emociona, assim confirmando ou rejeitando seus próprio pensamento e sentimento.

São, na verdade, partes de falas que se adaptam ao impulso de fúria, amor ou aversão que sentem por quem fala.

Apenas partes de falas que possam fazer sentido para opinião e modo de ver que no momento, estejam predominando ou tocando mais diretamente a elas.

Reflita. Muitas vezes…

As pessoas ouvem apenas o que elas querem ouvir.

As pessoas só ouvem aquilo que já estavam acostumadas a ouvir. As pessoas apenas ouvem o que imaginam que o outro ia falar.

Abraços e fiquem bem…

Sobre a Autora:

Rita Alonso: Professora de Recursos Humanos. Desenvolve trabalhos de consultoria organizacional, ministra treinamentos e palestras motivacionais.

2 Responses to Dois Ouvidos E Uma Só Boca!

  1. Valeu, Grande Mestre e Parceira da crença na igualdade de direitos, com e na Diversidade…na busca de uma cidaddania real e ética…hoje e sempre!!!
    Valeu…super grata, pelo artigo!!!
    E sinto que depois que perdi a visão…algumas vezes, não consigo OUVIR ….mais falo!!!!
    E meu maridão…me dá um cutucãozinho no braço…ou no joelho, sob a mesa do bar…restaurante…local em que estamos com amigos…!!!
    E eu “percebo”…que preciso ouvir mais!!! E valeu!!!Mil vezes, valeu!!!
    Ouvir é um “exercício contínuo” da mente e da emoção!!!
    E quanto perco…perdemos…quando não conseguimos ouvir nada e ninguém!!!!
    Super grata…e enorme abraço!!!
    Da sempre admiradora,

    Lilian Cury
    Facilitadora de Projetos de Inclusão e programas de T&D
    Coordenadora pela AAPSA – Grupo GPD – Gestão dePessoas com Deficiência
    Aluna e colaboradora do CADEVI
    Pós-Graduada em Tecnologia Assistiva, pela Faculdade de Medicina do ABC e Fundação Santo André

  2. Eu sou exatamente assim , me sinto mal com isso mas não sei como mudar.
    Gostaria de ser diferente para tentar sofrer menos e fazer os outros se sentirem melhor também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *