Enunciando Objetivos

Quando aprendemos uma coisa nova e gostamos, ficamos empolgados e buscamos uma oportunidade para aplicá-la.

Assim ocorreu quando participei de um curso onde aprendi o processo de enunciar objetivos.

Estava passeando numa cidade do interior e encontrei um amigo que disse estar pronto para enfrentar a cidade grande. Queria mudar-se para São Paulo.

Perguntei-lhe então qual o seu objetivo mudando-se para a Capital.

– Estou terminando o segundo grau – respondeu -. Tenho planos de estudar Administração e nesta cidade não há este curso, mas antes, quero mesmo estudar inglês numa boa escola lá em São Paulo.

– Mas o que você pretende lá, afinal? – perguntei – Inglês… Administração?

– Inglês – respondeu de pronto -.

– Então o objetivo de mudança para a Capital é mesmo estudar Inglês? – perguntei – E a Administração?

Eu estava mesmo usando um processo para saber qual o verdadeiro objetivo do meu amigo. Então ia fazendo perguntas para saber onde iria dar.

– Bom – respondeu ele – Administração vem depois. Primeiro o Inglês

– Mas qual o seu objetivo estudando Inglês? – insisti -.

– Bom, com Inglês fluente posso trabalhar numa multinacional.

– E por que você deseja trabalhar numa multinacional? Qual o seu objetivo?

Então ele explicou que trabalhando numa multinacional, ganharia um bom dinheiro. Com dinheiro poderia fazer uma faculdade de Administração e, aí com uma formação universitária, ganharia ainda mais dinheiro.

– Então o seu objetivo na vida é ganhar dinheiro? – perguntei -.

– Bom disse ele. É quase o meu objetivo. Meu verdadeiro objetivo é o que eu vou fazer com o dinheiro.

– Ah! – pensei eu – Estamos chegando lá.

Eu queria saber de que forma meu amigo estava enunciando seu objetivo, mas até aquele momento ele só estava definindo os instrumentos que deveriam assessorá-lo para alcançar o que queria realmente.

– Muito bem. – perguntei – Para que você precisa de tanto dinheiro?

– Bem, você conhece a minha família. Vi a felicidade dos meus pais criando a mim e meus irmãos e hoje vejo a felicidade de um deles casado, criando meus três sobrinhos, apesar das dificuldades financeiras. O sonho da minha vida é casar-me, ter três filhos, ficar sócio de um bom clube e poder nadar com eles. Quero ter uma casa ampla e bem decorada para eles viverem felizes e quero um bom carro para passear com eles.

Então fiz a última pergunta:

– E para que você deseja ter uma família feliz? Daí para adiante qual o seu objetivo?

– Ora, tendo tudo isto, o que eu poderia querer mais? Mais nada. Só quero ser feliz com minha mulher e meus três filhos. E vou conseguir.

Ali estava o objetivo do meu amigo, que deu uma grande volta para revelá-lo a mim, mas que estava bem claro para ele.

Depois de alguns anos o encontrei novamente, na mesma cidade. Ele não foi para São Paulo, não estudou Inglês, nem fez Administração.

Seu pai, quando morreu, deixou uma boa herança para ele e os irmãos. Com o dinheiro, abriram um supermercado e foram bem sucedidos. Meu amigo então casou-se, teve três filhos, comprou uma bela casa e ficou sócio do melhor clube da cidade. Não conquistou nenhum dos instrumentos conforme havia planejado mas, com objetivo bem claro, alcançou o que desejava.

Os instrumentos mudaram. Seu objetivo, entretanto, permaneceu inalterável.

É muito importante ter bem claro, para nós mesmos, nosso objetivo na vida.

Muitas vezes confundimos a conquista de instrumentos como sendo nosso objetivo.

Então gastamos tempo e energia numa busca desnecessária, pois muitas vezes nem precisamos desses instrumentos para alcançarmos nosso real objetivo.                  Prof. Osmar Lima, palestrante, instrutor de treinamentos, coordenador de treinamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *