Fazer O Que Não Gosta E Divertir-Se Com O Que Gosta?

Imagem 171

 

O erro da maior parte das pessoas está em trabalhar no que não gosta e usar o resto do tempo para divertir-se com o que gosta.

Algumas pessoas já me escutaram propondo que você faça somente aquilo que gosta. Sou um defensor, um proponente da ideia de que nossa vida é muito curta para que passemos por ela fazendo aquilo que não gostamos, por motivos que reprovamos com quem nem deveríamos estar.

Sim, também defendo a ideia de trabalhar apenas com as pessoas das quais gostamos, embora saiba que poucas pessoas têm essa sorte. Sou uma delas. Se minhas “energias” não batem com alguém simplesmente não trabalho com a pessoa. É simples assim.

Entretanto, reconheço que isso pode ser um desafio, especialmente nos momentos iniciais de um projeto. Nestes momentos, é comum termos que fazer coisas que não gostamos, para que possamos, mais tarde, fazer algo de que gostamos.

Não há nada de intrinsecamente errado em fazermos temporariamente algo que não gostamos, com quem não desejamos estar, por motivos que não aprovamos. Mikhail Gorbachev fez isso para acabar com a Guerra Fria (sim, foi ele quem acabou com a Guerra Fria e não Ronald Reagan, como alguns professores e jornalistas mal informados costumam alardear).

E quanto tempo é temporariamente? Depende de cada um. Cinco horas, cinco meses, cinco anos ou cinco décadas. Tudo depende da situação. Apenas não se renda, abandonando seus sonhos simplesmente para não sair da sua “zona de conforto”. Se você quer divertir-se com aquilo que gosta, é bom certificar-se de também trabalhar no que gosta. Não há como ter um, por muito tempo, sem o outro.

Agora, pense comigo e responda francamente:

Você gosta das pessoas com as quais trabalha e vive? Gosta daquilo que faz? Então aproveite e divirta-se e terá o melhor de dois mundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *