Final Feliz

Terminei de ler um livro ontem, que me prendeu a atenção e me fez criar muita expectativa sobre o final… ou melhor… os finais, porque no decorrer da leitura, conforme a história se desenrolava, os finais tinham que ser mudados, porque um ou outro personagem se tornava indisponível e outro aparecia…. Me vi assim criando expectativas sobre como seria o desfecho ideal…. Mas a história se desenvolvia sempre de maneira surpreendente e me via descartando finais felizes e mais finais felizes para a história… Até que ontem, à noite, a história tomou um rumo surpreendente e emocionante, trazendo novas possibilidades, mas…. de repente, percebo, faltam apenas 3 páginas para terminar… e com certeza, no ponto que está, não sei como o autor vai conseguir resolver tudo.

Agora parece que não tem como chegar ao final feliz que minha cabeça planejou e quase pulo até o finalzinho para ler como o autor conseguiu desenrolar em poucas palavras tantas coisas… No entanto, contenho-me e sigo a leitura, afinal, são só mais duas páginas… À medida que avanço, parece que só um milagre para dar um final feliz àquela história e….

Nem milagre nem nada… a história termina inesperada e mal resolvida. Pelo menos, para minha cabeça que criou felicidade para os personagens tão sofridos…

Fiquei pensando em quantas histórias ficam mal resolvidas ou que tomam finais que não se adequam às nossas expectativas, no decorrer das nossas vidas… Em nossas vidas reais.. ou nem tanto, também, quase nunca alcançamos os finais que planejamos…

Já notaram como passamos muito tempo das nossas vidas esperando? Esperamos nos formar, ter um bom emprego, um bom relacionamento… uma boa condição financeira e muitas.. muitas outras coisas, que só podem acontecer em um futuro imaginário… assim como em um final de livro…

Parece que nunca estamos prontos para usufruir da felicidade, e que sempre falta alguma coisa…

Quantas pessoas já encontramos na vida que estão sempre a caminho de algo… constantemente esperando algo, para então, e só então, desfrutarem da vida.

Quantas vezes também já fizemos isso… sempre esperando que algo no futuro nos coloque em uma condição, que julgamos ser a ideal, para podermos, enfim, viver… e sermos felizes.

Doce ilusão… ou nem tão doce assim, porque essas espera… por um tempo que virá… nos tira toda a possibilidade de viver o tempo que já chegou, e que sempre abre o portal de todas as possibilidades… no aqui e agora… Condicionar nossa felicidade a circunstâncias que podem acontecer em um futuro nos impede de viver o único tempo que realmente existe.

Hoje estava pensando em quantas situações esperei e que nunca aconteceram…. em quantos futuros já imaginei que nunca chegaram… e em quanta vida deixei de viver por esperar…

Passamos a vida esperando por um tempo que já chegou e não nos damos conta disso… Falamos tanto sobre o presente, mas quantas vezes nos dispomos realmente a vivê-lo, aceitando que temos as condições ideais para isso? Na nossa cabeça sempre falta algo que só acontecerá no futuro.

Não existe condição ideal para ser feliz, nem tempo mais propício para isso, que não seja no eterno presente… adiar a felicidade, e a vida, para o futuro, hoje me parece algo tão absurdo que resolvi abrir de vez a janela do presente e aceitar que tudo está perfeito, como está… que estou pronta para a vida sempre que estiver presente para vivê-la… e que isso pode ser a todo momento. Todo dia é mágico se nos abrimos para o que ele pode nos trazer…

Se já recebemos o dia cheios de expectativas e de condições, definitivamente perdemos o que ele tem de mágico e especial, porque de cara já nos fechamos para ele quando rejeitamos o que não se adequa às nossas expectativas…

Por que não dar uma chance a todo dia… e olhar primeiro para o que ele nos traz, antes de já ir logo julgando tudo segundo nosso conceitos viciados do que é ou não bom? Que tal parar um pouquinho a cada manhã, antes de entrar na rotina… e respirar o dia como se fosse um tempo único e precioso que nos chega pela primeira vez… Porque realmente é… Um dia assim você nunca viveu e nem terá outro igual… que tal entrar nele por inteiro, sem o filtro das expectativas?

Não custa nada experimentar já que demos tantas oportunidades ao outro jeito de receber o dia, porque não tentar algo novo a cada dia… e realmente poder encontrar em que ele pode nos surpreender?

Resolvi reler o final do livro, agora já livre das expectativas e com uma nova disposição… a disposição de receber o final que viesse… e não é que me pareceu outro final… completamente diferente.

Li o que minhas expectativas não me permitiram ler… nas mesmas palavras.

E o final ficou feliz de uma forma inesperada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *