Medo do Sucesso

“Conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo. Quando nos libertamos do nosso medo, nossa presença automaticamente liberará os outros. Livre-se dos seus medos e vá ao encontro da sua tão sonhada felicidade.”. (Nelson Mandela)

Muitas vezes nos deparamos com situações de desconforto, contrárias ao que desejamos. Passamos grande parte do tempo lutando para sermos reconhecidos, para atingirmos um “lugar ao sol”, para termos sucesso.

Mas estamos preparados para isso? Por que é tão difícil nos sentirmos, verdadeiramente, merecedores de tudo aquilo que conquistamos com enorme esforço?

Para muitas pessoas se está tudo bem na vida pessoal parece que há algo de errado na carreira e vice-versa. Se o casamento está numa ótima fase, as coisas na empresa não andam bem; se aquele árduo projeto foi aprovado é o namoro que está prestes a acabar.

E quando tudo está bem? Quase invariavelmente o pensamento é:

– Ahhh…pode contar que logo, logo, vai acontecer algo de ruim, porque está tudo bom demais…

Então vale a pena perguntar: qual é o decreto, medida provisória, a lei ou o contrato que diz que, na nossa vida, só podemos ter um aspecto positivo por vez?

É preciso termos consciência que muitas das coisas ‘negativas’ de nossa vida são provocadas por nós mesmos.

Já ouviu falar em sabotagem? Consta, no dicionário Michaelis, que sabotagem é destruição ou danificação propositada, trabalho secreto ou resistência passiva contra qualquer coisa à qual se deve cooperação. Está reconhecendo agora?

É hora de parar com a autossabotagem e aceitar que trabalho, empenho e esforço merecem louros, reconhecimento, sucesso. O primeiro passo para aproveitar tudo o que conquistamos, quer seja material ou não, é sentirmos responsabilidade pelo nosso próprio sucesso; é aceitar que somos capazes e merecemos colher bons frutos pelos esforços despendidos.

Depois é necessário nos livrarmos da culpa por recebermos tantas coisas especiais enquanto muitos não têm essa possibilidade. Essa culpa tem ‘toques’ culturais, religiosos, educacionais. E, mesmo sendo difícil ultrapassa-los, é perfeitamente possível!

O terceiro passo é libertar-se do medo da felicidade. Ser feliz é um DIREITO de todo ser humano. Nosso bem-estar, conquistado com responsabilidade, ética e honestidade, não anula as possibilidades alheias.

O quarto e último passo é o mais ‘simples’: devemos viver a vida com intensidade e alegria!

Viu como é fácil? Agora faça! A hora é agora! Izabel Failde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *