Não Carregue O Fardo Dos Outros

http://1.bp.blogspot.com/-7XOAwY1KbfE/UFHeupZMWjI/AAAAAAAABxg/TGZKELqKZ2U/s1600/crianca-rezando-imagens-decoupage.jpg

Há empresas que contam com convênios psicológicos para seus colaboradores. Mas ainda são poucas as organizações que estimulam as pessoas a procurarem a liderança e a área de RH, quando não aguentam mais carregar seus fardos e isto acaba interferindo na qualidade do trabalho. Se você trabalha como líder ou na área de Gestão de Pessoas de qualquer empresa, deve ter notado em sua derradeira rotina que muitos profissionais chegam até você com indagações ou problemas. Isso ocorre com frequência, quando alguém bate à porta da sala e vem com aquela cara de “gato do Shrek” acompanhado de um olhar de misericórdia e você já sabe que lá vem problema.

É muito comum as pessoas acharem que os líderes e os profissionais de RH possuem todas as soluções para seus problemas. Mas sabemos que isso não corresponde à verdade.

Você já vivenciou com um dia em que suas atividades diárias ficaram totalmente na gaveta porque não pararam de surgir problemas, bombas para desarmar e com sinais claros de que estavam prestes a explodir?

Saiba que para que isso não ocorra ou aconteça com tanta frequência, existem algumas técnicas que podem auxiliar e facilitar seu trabalho.

Vou compartilhar situações relacionadas ao meu dia a dia para facilitar a compreensão. É claro que isso não será a solução para seus problemas, mas como me ajuda, pode ser útil pra você.

São três pontos que costumo trabalhar e algumas dessas técnicas são práticas do coaching.

Primeiro Ponto – Esteja sempre preparado para ouvir. Se você optou por ser gestor ou atuar em Recursos Humanos, esse é um pré-requisito da profissão. Se naquele momento a pessoa está desabafando com você ou compartilhando um problema em seu trabalho é porque ela quer, precisa ser ouvida. Mas cuidado com suas expressões ao ouvi-la, tudo que uma pessoa não precisa é ser digna de piedade. Aprendi recentemente em um curso que não é justo com outro ter piedade, pois isso atrapalha o processo que a outra pessoa está passando e é necessário para a evolução dela. Então, somente ouça.

Segundo Ponto – Não tente dar uma solução para o problema da pessoa, porque ela sabe como pode resolver a questão que a aflige. No momento que ela acaba de falar, o melhor a fazer é questionar: “De que forma isso pode ser resolvido? Qual solução terá menos impacto sobre os outros fatores que envolvem este problema? O que você acha que seria melhor nesse momento? São perguntas simples, mas é preciso conduzir o indivíduo a pensar nesse momento. Normalmente, temos soluções para os problemas, mas é muito mais fácil jogar a bomba nas mãos de outra pessoa e perguntar: “E agora, o que eu faço?”.

Se você sempre dá conselhos e mostra a solução, nunca as pessoas ao seu redor se sentirão capazes de resolver os próprios problemas. Elas começam a se acomodar e a jogar a responsabilidade em você. Isso mesmo! E cada vez mais seu dia ficará apertado e sem tempo para realizar o trabalho.

Terceiro Ponto – Mostre à pessoa que ela é capaz. Demonstre que a solução estava ali, diante dos olhos. Dessa forma ela se sentirá capaz de ir adiante e que para todos os problemas que ela apresentar, sempre haverá uma solução. O ser humano está muito carente, se você mostrar que o indivíduo foi capaz de encontrar uma solução para o problema, isso vai alimentar nele uma coragem maior e é muito provável que isso cause o alívio da carência do momento do desabafo e ele saia de cabeça erguida. O mais importante nesses momentos é não pegar os problemas pra você. É como um médico, ele nunca pode pegar a doença da pessoa como sendo um problema dele. Já imaginou se os profissionais que atuam no setor da saúde não conseguissem separar os problemas que chegam até esses e assimilassem tudo, passando a vivenciar cada dor, cada enfermidade.

Esses três pontos são bem simples, mas se você conseguir coloca-los em prática em pouco tempo as pessoas deixarão de procurá-lo para ser o ‘salvador da pátria’, porque se sentirão mais capazes de ir em frente. Já me deparei com situações em que a pessoa me agradeceu muito, quando adotei essa postura. Apenas mostrei a ela que na verdade não fiz nada, foi ela quem conseguiu encontrar dentro de si o que precisava para ir em frente.

Então, agora é sua vez. Os problemas são necessários para a evolução de cada um e a nossa vida também é consequência de nossas escolhas. Por isso, não carregue o fardo que não é seu. Ajude as pessoas a encontrarem a solução, normalmente, elas já sabem o que fazer, só precisam de incentivo.

Fernanda Sartori Marques de Bianchi Fonte: RH.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *