O Que Você Faz Com Os Convites Da Vida?

Já aconteceu de você ser chamado para alguma coisa, mas não ser escolhido? Como você tem reagido aos vários convites que a vida tem feito para o seu crescimento e o seu progresso? Que tipo de profissional você é?

Meu propósito é fazer uma reflexão para aplicá-los na vida profissional. Os escolhidos para vaga no vestibular, os escolhidos para disputar um emprego, os escolhidos para a promoção na empresa, os escolhidos em um concurso ou numa concorrência publica etc. Em todos os casos, temos em comum o fato de existirem critérios para esta escolha. Se são justos ou não, não vem ao caso agora, apesar de ser um tema rico o suficiente para ser tratado. Em comum também existe o fato de que, via de regra, os escolhidos são poucos em relação aos muitos que são chamados.

Até aqui, nada de novo. Mas quero chamar sua atenção para outro tipo de chamado. Na verdade, um chamado que a vida não faz para muitos, mas para todos. Um chamado para a qual também são poucos os escolhidos. Falo do chamado das oportunidades de crescimento. Sim, as oportunidades chegam e chamam a muitos, mas poucos escolhem a si mesmos para aproveitá-las – ou poderíamos dizer que poucos se deixam escolher, ou seja, conseguem transformar essas oportunidades de crescimento pessoal (profissional, familiar, mental, espiritual etc).

Uma perguntinha simples: nas várias vezes em que a vida tem feito convites a você, chamando para crescer – aqueles convites que costumamos chamar “oportunidades” – qual foi a sua reação? Você tem ignorado ou até zombado desses convites? Você os tem aceitado, mas não tem se preparado como convém? Ou você tem agarrado os convites, apesar dos riscos e sacrifícios que eles implicam?

Segundo Henri Kaiser (www.frazz.com.br), os problemas são apenas oportunidades vestidas de roupas de trabalho. Ou seja, para a oportunidade entrar em ação, surgir na sua vida, ela precisa colocar seu uniforme de trabalho. Caso contrário, não será notada. E como o uniforme de trabalho da oportunidade é tudo aquilo que chamamos “problema”, muitos não conseguem percebê-la, pois suas mentes já estão condicionadas a correr para bem longe de problemas.

É verdade! Existem muitas pessoas que quando vêem os problemas correm dele como o diabo corre da cruz. São aqueles profissionais que, quando o chefe diz “temos um problema para resolver”, escondem-se sob a mesa, simulam que estão falando no celular ou dizem que precisam sair para uma visita que já tinha sido marcada. Pois bem, eles estão condicionados a detestar os problemas, em vez de perceber que estão diante de grandes oportunidades de serem notados, de serem percebidos como profissionais úteis.

Imagine se um médico dissesse a um paciente: “Pelo amor de Deus, não me venha falar de doenças!” Com esta atitude, ele estaria fora do mercado em pouco tempo. Será que seu caso é semelhante? Pois saiba o mundo anseia por pessoas que solucionem problemas. Se você passar a ver os problemas como realmente são, ou seja, oportunidades, você se verá diariamente diante de trampolins para o seu crescimento, para o seu sucesso. Pare de rejeitar os problemas. Sem eles, como você mostraria que você é um grande profissional? Agradeça a Deus por existirem problemas. Eles são a razão de o mundo precisar de você. Se você aceitou esta idéia, a próxima pergunta a se fazer é : “Estou preparado?”

Encare os desafios, mas antes disso capacite-se para tal. É lógico que não dá para se preparar para tudo, e para seu crescimento você terá de aprender muita coisa na base da experiência e da prática. No entanto, com um mínimo de capacidade (capacitação, estudo, esforço e suor) você não será lançado para fora da festa que o levará ao sucesso.

Não se subestime. Esteja certo de que você jamais conseguirá ir um centímetro além da imagem que faz de si mesmo. É incrível como existem pessoas que se dão um valor tão baixo que se tornam o maior empecilho para o seu próprio crescimento. Assim como Deus não olha aparências, e no fim dos tempos não irá avaliar você usando uma fita métrica em seu bolso, mas em seu coração, a vida também não considera sexo, cor, raça procedência ou altura. Quem faz esse tipo de discriminação são os homens, e não a vida. Você é que permite ou não que esses julgamentos prevaleçam sobre os que você faz sobre si.

Se você tiver alguma dúvida disso, veja os casos de pessoas que tinham tudo para não alcançar o topo de suas áreas, mas que hoje são autênticas referências de sucesso. Basta olhar em volta e você identificará rapidamente pessoas assim. Eu sei que são poucos. Mas não aconteceu porque os outros não foram chamados, e sim porque somente pouco deles acreditaram que eram dignos de aceitar o convite. Por isso, poucos foram escolhidos.

E aí? Que tipo de profissional você é no que diz respeito a aproveitar as oportunidades da vida, a encarar o desafio de resolver problemas, a aceitar o convite de ser alguém melhor do que é hoje? Mude sua atitude diante dos problemas, capacite-se em uma área, acredite em si mesmo e cresça! Sim, o mais importante: que Deus abençoe você nesse processo, Ou você vai querer rejeitar a bênção também?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *