Onde Foi Parar O Colorido Da Minha Vida?

Imagem 106

Lembro-me como se fosse hoje o primeiro dia que a televisão colorida chegou em minha casa. Meu pai que sempre fora um homem surpreendente e incrível para nos fazer surpresa, chegou com uma televisão enorme e quando terminou de ligar todos os fios, que mesmo naquele tempo já eram um enigma, contou até três e quando ligou a televisão a imagem era colorida.

Eu e meus irmãos começamos a gritar num entusiasmo só. Naquela noite, quase não dormimos, aquilo era muito legal. E hoje quase não damos valor ao que um dia foi uma coisa incrível!

Se um dia ligamos a televisão e por ter um fio desligado estiver ser cor, já logo reclamamos e procuramos consertar, porque é horrível assistir televisão sem o colorido normal.

Muitas vezes, porém, nossa vida perde o colorido e nem nos damos conta, vamos nos entristecendo dia após dia com uma determinada situação e achamos que ela deve fazer parte para sempre de nossa vida. No entanto, quando alguém nos alerta dizendo: “parece que a sua vida perdeu o colorido, o entusiasmo, a alegria”… é que começamos a nos dar conta do que estamos fazendo conosco.

Ter alegria, entusiasmo e vontade de viver e realizar, significa ter poder pessoal, significa traçar metas e objetivos e jamais desistir deles, significa sangue correndo na veia, significa vida. Perder tudo isso, seja por que motivo for, significa perder o colorido da sua vida.

Quando você se sentir bloqueado e desesperançado, tome isso como um aviso para buscar aquele momento em que isso aconteceu com você, permita que o pior que existe em você se expresse e seja eliminado. Quando me refiro ao pior, quero dizer as emoções e sentimentos negativos represados, que mais tarde tanto podem se transformar em sofrimento eterno ou somatização física na forma de uma doença.

(…) No momento em que você observar e identificar seus aspectos destrutivos, você terá encontrado a si mesmo, terá descoberto o seu poder pessoal, com o qual a sua identificação pode ocorrer com segurança. Uma atitude como essa está a sua disposição. Não é mágica, é uma escolha sua.

Quando passamos por situações dolorosas ou traumáticas, os sentimentos não são experimentados na sua total intensidade e o fluxo interior de vida ficam estagnados. Neste estado nos sentimos paralisados, nossas decisões são ineficazes, a vida parece dizer não a cada atitude nossa. E, como em um piscar de olhos, o bloqueio se forma e a vida perde o colorido.

Qualquer meta que você não consiga atingir é prova de que uma corrente de negação não detectada está atuando.

À medida que você batalha através dessa etapa e fica mais forte, você não foge mais de si mesmo e do risco aparente de viver. Porque com certeza viver vale muita a pena, mas viver com intensidade, com colorido, com brilho e realização vale muito, muito mais!

Há alguns anos, atendi uma moça muito competente e realizada profissionalmente, mas que não se sentia realizada na parte afetiva. Havia se casado com um homem fraco e dependente que nunca encontrava emprego e a nada se dedicava. A lista de desculpas era sempre interminável e se fazia de vítima da vida. Por maior que fosse o amor que sentia por aquele homem, percebia que a cada dia a sua vida perdia mais o colorido, achava que a rotina havia tomado conta deles e que as reclamações eram sempre o assunto em pauta. Ela me disse que não queria se separar dele e que vivia um enorme conflito interno, pois também não queria continuar a viver daquela forma. (…) Marquei uma nova consulta com os dois, e iniciei pelo marido. Identifiquei que todos os seus bloqueios haviam vindo de uma infância sem motivação e incentivo. A maneira dos pais entenderem que ele tinha que modificar o seu comportamento era através de críticas constantes e estas só o levaram à retração e inatividade, no entanto, seu poder pessoal era enorme conforme identifiquei e a possibilidade de mudança era imensa. Eliminei, assim, tais bloqueios de sua infância. No caso da moça, o marido era uma repetição de um pai fraco e inativo, que nunca a fizera ter orgulho dele, sua mãe era a batalhadora e a provedora. Coloquei, então, para ela o real motivo de ter atraído um marido como o dela, que seria a tentativa de fazer uma história diferente de sua mãe frente a uma situação similar. Após algumas sessões de resgate de autoestima e poder pessoal, identifiquei uma possibilidade de trabalho em conjunto. Ela era veterinária especializada em cavalos, sugeri a ele que fizesse um curso de acupuntura e massagem para animais. Ele logo se identificou com a proposta e seguiu em frente. Hoje eles têm uma clínica especializada no atendimento de animais de grande porte juntando a parte veterinária com a parte de acupuntura e são um sucesso no que fazem e o colorido voltou a fazer parte de suas vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *