Os Fatos, Nossa Reação Emocional E Nossas Ações

A não-aceitação é uma reação interior, separada do acontecimento que aparentemente é o responsável pela nossa forma de sentir e pensar naquele momento. Existem os fatos que surgem na nossa vida e eles são neutros. Embora muitos não saiam da forma que desejamos ainda assim eles são neutros. Separada dos acontecimentos, existe a nossa reação interior aos fatos. Pessoas reagem diferentemente ao mesmo acontecimento. Uns demonstram bastante irritação, enquanto outros lidam de forma tranqüila.

Parece óbvio o que estou falando. Mas quando reagimos interiormente a alguma coisa, estamos inconscientemente misturando o fato à nossa reação como se fosse uma coisa só. Em determinadas áreas da sua vida, você reage em paz a alguma situação tipicamente estressante para a maioria, e não entende muito bem por que os outros se sentem tão incomodados. Ou até os compreende mas consegue enxergar que é possível sentir diferente. Já em algumas outras áreas você não consegue reagir com calma e cai no mecanismo de misturar a situação e a reação interior. As vezes você irá justificar dizendo que determinados fatos são fáceis e tem outros que não são. Entretanto, outras pessoas irão achar facil lidar com coisas que você acha difícil. Portanto, na verdade as situações serão sempre neutras, mas haverá diferença na forma como as pessoas lidam com elas.

Boa parte das pessoas não consegue ver essa separação. Acham que a situação é que ruim. “Como poderia reagir diferente em uma situação como essa, não é possível!” “Como posso ficar em paz quando ocorre uma situação que eu não gostaria, não tem como!”

Mostro para o cliente que a situação que ele me trouxe não mudou absolutamente nada, mas o que mudou profundamente foi a sua reação emocional ao problema.

Depois de dissolver os sentimentos, fica muito mais fácil agir e resolver o problema. Sem peso da carga emocional, o problema parece menor. E caso seja alguma situação onde não é possível fazer nada, também ficamos em paz aceitando que nada é possível fazer. Ao aplicar a Técnica eu não dou essas explicações antecipadas ao cliente. Conduzo o trabalho dissolvendo pacientemente as emoções, até que ele atinja esse estado. E quando chega nesse ponto, explico racionalmente o que ocorreu para que haja um maior aprendizado e que ele carregue esta compreensão mais profunda para o seu dia-a-dia, evitando a criação de novos sentimentos de não aceitação.

A reação interior é sentida dentro de nós em forma de sentimentos e pensamentos negativos que surgem quando algo não sai conforme nossas expectativas. Esse gatilho pode ser puxado nas mais diversas situações: quando uma pessoa é desagradável, o avião atrasa, um pagamento que não sai, a perda de algo material, o trânsito engarrafado. Enfim, o mecanismo pode ser acionado por qualquer coisa que não saiu conforme nossas expectativas.

Imediatamente, surge uma força interior de resistência que reclama e se sente mal a respeito do ocorrido. São comentários mentais sempre impregnados com emoções de raiva, tristeza, medo e outros sentimentos: “Que atraso enorme do vôo, é horrível ficar aqui aguardando no aeroporto , eu já poderia ter chegado em casa”. “E agora, o que vou fazer já que o pagamento não saiu?”. “Nossa esse trânsito não anda de jeito nenhum, vou chegar atrasado, é um absurdo, a cidade não anda”.

Ao reagirmos interiormente, a situação exterior não muda em nada e criamos sofrimento. Esses sentimentos se manifestam quimicamente no nosso organismo, provocando uma série de reações desagradáveis. Todo sentimento negativo é produzido pelo cérebro em forma de substancia que é liberada para a corrente sanguínea, provocando efeitos em partes do corpo: contração de músculos e órgãos, sensação de aperto no peito, respiração mais curta, suor, queimação, calor, frio, dores no corpo e outras. O efeito repetido desses sentimentos acaba provocando problemas de saúde. Se pudéssemos ver de fora o que a energia da não aceitação nos provoca, teríamos uma melhor noção da insanidade que é viver dessa forma. Imagine uma química venenosa, produzida pelo seu próprio organismo, prejudicando toda a sua fisiologia.

E pra que tudo isso? É uma tentativa de mudar a situação; um mecanismo que ocorre de forma inconsciente. Como se o fato de reclamarmos pudesse mudar os acontecimentos que não nos agradam. Aprendemos quando criança que se reclamarmos demonstrando toda nossa insatisfação seremos atendidos. O bebê chora, e logo os pais o atendem. É um mecanismo de sobrevivência utilizado pela criança. No entanto, carregamos esse padrão inconscientemente pela vida adulta parecendo ser algo natural.

Nossa mente tenta nos convencer que é normal agir dessa forma. Depois do último artigo que escrevi “Aceitação é difícil. Ou seria fácil?”, recebi um e-mail de um leitor que contava que ficava em paz diante de muitas situações onde todos ficavam estressados. Ele se questionava se deveria agir como os outros. Agir da forma saudável lhe parecia estranho. Com o artigo ele compreendeu. A mente condicionada por várias gerações passadas tenderá a estranhar e querer agir como a maioria.

Muitas situações irão demandar uma que você tome alguma ação. Mas não precisamos do desconforto interior para nos motivar a tomar qualquer atitude. Esse é também um condicionamento antigo: encontrar motivação para agir somente para se livrar de alguma dor. O ser humano quando está em equilíbrio, tem um impulso natural de crescer, expandir em todas as áreas da sua vida e atuar no mundo. Esse impulso natural é um poderoso motivador e já é suficiente para que possamos tomar as atitudes que temos que tomar.

Entretanto, por termos outros problemas emocionais ligados a auto estima baixa, não merecimento, sentimentos de não sermos capazes, acabamos encobrindo o impulso natural de expansão. Nesses casos, o sofrimento surgirá e será o nosso motivador para agirmos. Mas é importante ficar claro que, no fundo, não é necessário sofrer ou reagir interiormente para tomar qualquer ação. Tem sido dessa forma por milhares de anos, mas estamos entrando agora em um estágio da evolução da consciência onde isso não será mais necessário.

André Lima – EFT Practitioner – EFT – Emotional Freedom Techniques – É a auto-acupuntura emocional sem agulhas. Ensina a desbloquear a energia estagnada nos meridianos, de forma fácil, rápida e extremamente eficaz, proporcionando a cura para questões físicas emocionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *