Os Seus “E-Mails” São Lidos? (I)

Os “e-mails” indesejados se acumulam as toneladas mundo afora, e em nossas caixas postais eletrônicas. Não há caixa de entrada de internauta que não receba os seus “spams”.

No meio desta enxurrada de “e-mails” que todos recebemos, como fazer para que o seu “e-mail” sejam lido?

O seu “e-mail” destinado ao seu cliente, ele pode abrir ou não. Ele pode escolher a hora ou momento em que quer lê-lo. Ou não!

Esta é uma grande vantagem do “e-mail”: ele pode ser aberto quando o destinatário é, ou está, mais receptivo, ao contrário dos telefonemas, que se dá por vontade – ou imposição – do emissor. Este dado é importantíssimo: telefonemas podem ser impostos, “e-mails” são recebidos e abertos pela boa vontade do receptor. Ponto para o “e-mail”!

Como redigir “e-mails” que sejam lidos?

Este é o assunto de hoje: como redigir “e-mails” que sejam lidos?

Abordaremos este tópico em 10 tópicos práticos:

1º – O mais importante: o gatilho que dispara a leitura

2º – O número máximo de caracteres da isca

3º – O tom do item “Assunto”

4º – Como redigir o gatilho do item “Assunto”?

5º – Como redigir o corpo do “e-mail”?

6º – A largura da linha do corpo do “e-mail”

7º – O número de linhas por parágrafo

8º – A seqüência dos parágrafos

9 º – O chamamento à ação

10º – Para quem mandar o seu e-mail?

No Boletim Semanal de hoje abordaremos somente os 3 primeiros. Nas semanas que seguem irão os demais itens.

1º – O mais importante: o gatilho que dispara a leitura

O que faz uma pessoa abrir, ou não, o seu “e-mail” é a parte mais visível do seu “e-mail”, é aquilo que você colocou escrito no item “Assunto”. Por isto este item é o mais importante: ele pode definir se o seu “e-mail” será lido.

Em sua caixa postal eletrônica, quando chega um novo “e-mail”, você primeiro lê ao campo “Assunto” ou “Subject” e decide abrir ou não, não é mesmo, [Name]?

Lógico, há os seus amigos, parentes, conhecidos e colegas de trabalho. Estes “e-mails” são como conversas que se oportunizam pela proximidade gerada pela “grande rede mundial”. Estes “e-mails” você abre em ocasiões que a sua administração do tempo recomenda ou permite.

Qual é a sua decisão? Que tipo de escolha você faz para ler ou enviar para os “Itens Excluídos” os “e-mails” de desconhecidos?

Esta escolha é feita com base em suas necessidades e desejos, e tem muito a ver com o que desperta a sua atenção. Tem a ver com as necessidades de você como pessoa, em seus múltiplos papéis frente à sua vida. Com o seu cliente potencial ocorre a mesma coisa, não é mesmo, [Name].

Se o título do “e-mail” captar a atenção dele, ele o abrirá, caso contrário é esquecido ou “Itens Excluídos” nele!

Se você quiser saber mais sobre a atenção, leia estes artigos:

A Atenção E O Marketing (I) e (II)

A Internet E A Atenção

A melhor definição para o conteúdo do item “Assunto” é isca. No item “Assunto” está escrito e estampada a isca que fará com que os seus cliente potencial abra o “e-mail”.

Lembre-se, portanto: a isca, o que está escrito no item “Assunto”, é o gatilho que dispara da leitura do seu “e-mail”. Ou não!

2º – O número máximo de caracteres da isca

Pesquisas mostram que é recomendável o item “Assunto” ter 25 caracteres, no máximo chegando a 30 caracteres.

A atenção do seu cliente potencial é, hoje, o bem mais procurado e mais escasso.

O seu cliente potencial é bombardeado com múltiplas tentativas de captura da sua atenção; são tantas que a maioria vira um grande ruído de fundo, imperceptível.

Para que você se destaque – e seja visto – no meio desta avalanche – e seja lido -, você tem que capturar rapidamente a atenção do seu cliente. Rápido e rasteiro, ágil.

Lembre-se: o item “Assunto” deve ter 25 caracteres, 30 caracteres no máximo.

3º – O tom do item “Assunto”: música para o seu cliente

Você tem que falar a linguagem do seu cliente. O que seu cliente entende como música são soluções para os problemas dele. Este é o tom da isca “Assunto”.

Qual é a necessidade que o seu cliente potencial busca com a sua oferta? Em que nível da hierarquia das necessidades de Maslow ele se encontra quando deseja o que você produz ou vende?

Se este assunto lhe interessa, leia os artigos:

As Nossas Necessidades E Os Nossos Desejos

O Marketing Cria Necessidades?

Esta leitura é básica para você entender as necessidades e desejos do seu cliente potencial.

Você vai ter que falar com o seu cliente dos problemas dele, das necessidades e desejos dele, na linguagem dele, para chamar e obter a sua atenção.

Jamais fale do que você faz! O fabricante de geladeiras, quando fala com o seu cliente potencial, fala de conservação de alimentos, não de linhas de produção, compressores ou isolantes. Certo?                   Carlos Alberto de Faria – calfaria@merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *