Ouse Fazer Algo Diferente!

Straight and Curvy Houseplants

Existe uma dificuldade na maioria das pessoas em tentar fazer coisas novas. Manter-se na zona de conforto, fazendo sempre as mesmas coisas, é a tendência. O processo de crescimento se torna lento. Se nos mantemos fazendo as mesmas coisas sempre, os resultados na nossa vida serão sempre muito parecidos, obviamente. Aliás, a respeito disso, Albert Einstein falou: “Insanidade é continuar fazendo as mesmas coisas e esperar resultados diferentes”.

O medo de arriscar e dar errado está ligado a essa tendência. Esse medo pode se revelar na vida de alguém de diversas formas, em pequenas coisas. Por exemplo, tem gente que tem tanto medo de arriscar, que até quando vai a um restaurante pede sempre o mesmo prato, ou varia somente entre dois ou três no máximo. E se eu pedir algo diferente e não gostar? É o medo que fica como pano de fundo.

Pedindo o mesmo prato, você garante que não se arrependerá. Entretanto, existe sempre a possibilidade de se experimentar algum prato diferente e gostar tanto que ele passe a ser incluído como opção entre os favoritos. E por que não arriscar um pouco? Afinal de contas, essa é uma escolha que não trará nenhuma consequência séria.

Você não precisa escolher uma coisa nova todas as vezes. Mas por que não tentar de vez em quando? Eu mesmo já me surpreendi positivamente várias vezes ao provar pratos que nunca havia antes experimentado. Tem pessoas que falam que não gostam de uma determinada comida ou tempero, quando, na verdade, nunca sequer provaram.

Fazendo esse pequeno exercício com algo que não tem como nos trazer prejuízo, a nossa mente começa a ficar mais aberta e atenta para outras possibilidades na vida. É um treino para perder o medo de arriscar e sair um pouco da zona de conforto.

Existem outras coisas também que podemos fazer para treinar sair da zona de conforto sem correr grandes riscos. Exemplos: usar uma peça de roupa com estilo diferente do que você normalmente usaria; experimentar uma cor diferente; dar um corte novo no cabelo; ir para um lugar novo no final de semana; aprender a dançar um ritmo diferente do que você já faz na aula; mudar a sequência de exercícios na academia; se você pratica corrida, pode experimentar andar de bicicleta; entrar em uma aula que ensine algo artístico; aprender uma nova língua; fazer um caminho diferente para ir ao trabalho…

Ao praticar coisas novas, a mente vai gradativamente se abrindo, e ficará mais natural promover mudanças em outras áreas mais importantes.

Muitas vezes, somos empurrados para a mudança e fazer algo diferente através do sofrimento. Um término de um relacionamento pode levar alguém a fazer novas amizades, frequentar novos lugares. A perda do emprego pode obrigar a pessoa a se reinventar e aprender coisas que sempre teve preguiça de aprender.

Ao invés de esperar que essas coisas aconteçam para nos empurrar a tentar coisas novas, melhor começar a fazer isso voluntariamente, assim ficaremos muito mais à vontade para lidar com situações que saem do padrão ao qual estamos acostumados.

Medo de dar errado; medo de não gostar; medo de se arrepender; medo de investir e perder; medo de perder tempo; medo de se frustrar; medo de sair da rotina; medo de surgir algum obstáculo; medo de não saber lidar com alguma dificuldade que possa surgir… Tudo isso nos deixa paralisados. Para dissolver todos esses medos e assim ficará muito mais fácil promover as mudanças que desejamos.

Pessoas que têm um alto nível de autoconfiança têm os seguintes pensamentos enraizados no seu interior: “Eu assumo correr riscos de forma sensata para que eu possa crescer na vida”; “Fazer coisas diferentes é algo divertido e prazeroso pra mim”; “Mudar faz parte da vida, eu aceito e busco as mudanças com alegria”.                   Ouse fazer algo diferente hoje! Andre Lima – andre@eftbr.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *