Para Os Apaixonados: O Mistério Da Autoestima – Primeira Parte

teste-auto-estima

Autoestima – Se eu não escrever a ideia foge. Sobe como um balão e se liberta da mente. Ou se põe como um sol ao entardecer. Ou a ideia brinca de esconde como a Lua. Quando está Crescente tudo flui com nitidez. As ideias brincam fogosas como amantes apaixonados na Lua Cheia. A inspiração dorme e sonha na Lua Minguante.

O balão sobe tanto que pode ser tragado pela atmosfera ou mesmo estourar. O sol volta sempre ao amanhecer.

Assim é a autoestima. Emoção forte que grassa nos consultórios psicológicos. Comentada nas conversas das mulheres solitárias. Descrita misteriosamente nos escritos dos filósofos. Até nos bares através dos copos que vivem juntos com os homens desiludidos. Ela diminui como a Lua Minguante na depressão que afoga tantos corações frustrados.

A palavra autoestima está mais batida do que as curtidas das redes sociais.

Já receitei autoestima para meus consulentes desde os doze anos de idade. Todo mundo fala nela! Atraída pelos holofotes do ego, ela ilumina os passos dos bem-sucedidos. Mas sabe fingir bem nos sorrisos tristes. Todo mundo comenta sobre a autoestima, mas poucos conseguem alcançá-la. É como uma lebre saltitante que foge quando a gente quer alcançá-la.

Somos almas apaixonadas pelo amor. O amor pode ser o alimento da autoestima. Quando a gente se sente amado a autoestima volta com toda força. Se o meu amor está apaixonado é porque sou muito legal. Bonito. Atraente. Feliz. Chego aos lugares acompanhado e com um sorriso quase egocêntrico. O balão enche tanto porque vem carregado de feromônios. Eu amo e sou amado. Sou especial! Estou louco de amor! Meu amor me quer! Ele me pediu em casamento! Ela respondeu meus torpedos insistentes. Sou charmoso, irresistível e gostoso. A pele ganha viço; os olhos brilham. O corpo bate no ritmo da paixão. Os apaixonados vibram na melodia incandescente da paixão. Esse fogo trama como a floresta na escuridão. Tudo parece silencioso, mas as feras esperam suas vítimas. Você ama o outro porque se ama? Ou se ama porque o outro o ama? Reflita!  Sandra Cecília F.de Oliveira – relax.mental@uol.com.br

 

One Response to Para Os Apaixonados: O Mistério Da Autoestima – Primeira Parte

  1. Grandes Parceiros!

    Quantasvezes, eu já me fiz esta pergunta?!!!!

    E a resposta não é tão imediata! E eu sei…racionalmente,que deveria ser…e deveria ser: SIM!!!!

    E sei que esta “resposta positiva”…é fruto de muito “trabalho” pessoal; auto-conhecimento; auto-observação; reflexão; auto-análise de ações nossas e suas reações em pessoas amadas…até as menos conhecidas; muito esforço…empenho…nunca desistirmos de coseguirmos responder!!!

    E a jornada é longa!!!

    E vale…vale muito para nós mesmos!!!!

    E quando curtirmo-nos……amarmo-nos …aceitarmo-nos…estaremos mais prontos para lidarmos com o mundo a nossa volta!!!

    E não podemos confundir…curtir a nossa própria companhia…com sermos dono do mundo…sermos, completamente, auto-suficientes e senhores do nosso destino…!!!

    Vamos aprender a aprender a gostarmos de nós mesmos, nunca perdendo o foco…que somos unidos…que não podemos viver sozinhos…pois uns precisamos dos outros…e podemos e coseguimos nos complementar…com respeito… auto-respeito…hoje e sempre!!!

    Boa leitura!!!

    Valeu grande “mestre”, Profa. Rita!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *