Pessoas Deprimidas Estão Constantemente Tristes E Sozinhas

GATO

Aquele estereótipo de pessoa com depressão não corresponde à realidade. Se você não sabe de qual estereótipo eu estou falando, faça uma busca no Google Imagens por “depressão”.  Claro que algumas pessoas ficam assim, mas isso não é uma realidade para todos os casos.

Apesar de vermos vários exemplos na cultura pop, a depressão não é um desfile constante de destruição e desespero. Essa é uma das razões pelas quais as pessoas têm tanta dificuldade em perceber que seu amigo está deprimido. As pessoas ficam se questionando: como ela poderia estar deprimida se semana passada mesmo tocou o terror!?

As pessoas, muitas vezes, se sentem no seu melhor quando estão socializando, porque os problemas da vida ficam escondidos lá no fundo. Mas quando você está sozinho, enrolado em uma bola de medo e pânico como um gatinho, a depressão ataca pra valer. Seus amigos não estão lá para ver você sim. Na verdade, ninguém está. É só você com você mesmo, e você não quer falar com ninguém sobre isso, porque seu cérebro está dizendo ninguém está nem aí para você.

Mesmo quando uma pessoa com depressão está fazendo tratamento, haverá momentos em que ela vai se sentir bem consigo mesma, mas extremamente triste com os amigos. Seu humor quase parece ser aleatório, como se seu cérebro estivesse jogando roleta com suas emoções (…).  O ponto é que, quando você está deprimido, você está em uma batalha constante com o seu cérebro para assumir o controle de sua vida. Claro que a pessoa pode ganhar, mas precisa primeiro saber que essa luta está acontecendo. E essa batalha pode durar a vida inteira.

Quando você ouve que alguém está deprimido, você entende que essa pessoa está triste. Mas essa não é a única emoção ligada a doença. Algumas pessoas acabam com uma espécie de gatilho de raiva – tipo o do Hulk – e vão aos extremos. Isso pode acabar afetando muito mais quem convive com o depressivo do que ele mesmo (…).  Sintomas contraditórios são parte do que torna a depressão difícil de ser detectada. A pessoa pode ter dificuldade em adormecer ou pode dormir demais, e de qualquer forma pode não perceber que essas coisas fazem parte de um problema maior. É normal uma pessoa deprimida querer dormir o dia inteiro, perder muito peso ou engordar demais. Alguns podem também ter dificuldade em lembrar as coisas, ou de se concentrar. Machucar a si mesmo também não é incomum. Mas, como eu disse, todas essas coisas variam de pessoa para pessoa. E, claro, todos estes “pequenos” problemas se somam para criar novos problemas – por exemplo, é difícil ficar motivado para cuidar de todas as suas tarefas rotineiras do dia-a-dia (…). Muita gente acha que esse problema se resolve em um piscar de olhos.

Geralmente são as mesmas pessoas que argumentam que os antidepressivos não funcionam e também adoram dizer que a doença mental é uma nova “modinha”, como quadradinho de oito, de alguma forma menos triste.

Algumas pessoas ainda têm coragem de dizer que é legal estar deprimido, porque você pode agir como uma pessoa infeliz o tempo todo. É tipo um aval para ser um idiota insuportável.

Isso de “querer” ficar deprimido é o que alguns chamam de “autocapacitação” e não significa absolutamente nada. O problema maior é que isso leva a um raciocínio estranho. As pessoas pensam, “se alguém QUER ficar deprimido e dá a entender que de fato FICA deprimido, quem está deprimido é só querer sarar! Por que eu não pensei nisso antes?”. Só que não.

Algumas publicações que se dizem especializadas argumentam que as pessoas deprimidas devem combater seus problemas com uma atitude estoica e boa oração à moda antiga, em vez de desperdiçar valiosos reais em coisas estúpidas como “tratamento”.

Antes de acreditar nessas publicações, tenha cuidado. A mensagem principal desse tipo de informação é a de que “a depressão é uma mentira”, por isso, se você tem isso, a culpa só pode ser sua. Claro que isso é exatamente o que uma pessoa com uma doença mental tem necessidade de ouvir: que o problema que está baixando a sua qualidade de vida é um imaginário autoprovocado. Não, né?

As doenças mentais são fortemente estigmatizadas, e não é preciso muito para colocar alguém que já está se sentindo irracionalmente constrangido ainda mais para baixo. Então, não seja aquele cara que acha que a pessoa pode “sair dessa sozinha”. Embora uma atitude positiva possa ajudar (certamente não vai piorar nada), é preciso ter paciência e seguir um tratamento verdadeiro (como medicamentos e terapia) para superar uma doença tão complexa como a depressão (…). É verdade que as mulheres são duas vezes mais propensas que os homens a serem diagnosticadas com depressão, mas isso não é porque os comediantes estavam certos o tempo todo sobre seus cérebros que trabalham de forma diferente.

A teoria mais comum é que os fatores sociais desencorajam os homens de procurar ajuda. A maioria acredita e aceita que os homens não devem sofrer de problemas emocionais como uma garota estúpida e insegura – se eles estão se sentindo para baixo, eles devem caminhar para o deserto e atirar em alguma coisa. Ou gritar com alguém. Ou fazer um churrasco e beber uma cerveja.

Homens que falam sobre seus sentimentos são basicamente bichanos gigantes.

Assim, enquanto a maioria das mulheres estão recebendo tratamento e apoio, os homens são propensos a lidar com os seus problemas através de abuso de substâncias, crises de violência (lembra como isso é um dos sintomas?), e prática de suicídio(…).   Adolescentes enfrentam seus próprios problemas quando se trata de saúde mental, porque quando as pessoas ouvem um adolescente dizer que está deprimido, eles assumem que é porque a professora de matemática deu uma prova muito difícil ou passou muitos trabalhos.

Mas, enquanto alguns que sofrem de depressão na adolescência se resolvem com uma dose diária de 2 ou 3 maus poemas e cinco porções de Linkin Park, os outros casos são tão graves como o que os adultos enfrentam. Só que os adolescentes são hesitantes em procurar tratamento, porque falsamente supõem que haverão muitos obstáculos (…).  Fato é que existem sim dias em que você vai se sentir o maior lixo já produzido pela humanidade. E isso não quer dizer que você está com depressão. Mas, se essa sensação persistir a ponto de ser a única coisa que você pensa sobre si mesmo a todo momento, talvez seja hora de respirar fundo e procurar ajuda especializada. hypescience.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *