Poder Da Primeira Impressão

2

Você já pensou: Qual a impressão que causa aos seus clientes? E ao seu chefe e colegas de trabalho? E à sua família e amigos? Cabe aí, mais uma pergunta: será que as oportunidades que surgiram em sua carreira profissional e em sua vida estão ligadas a estas questões?

Há uma grande diferença entre o que somos e a imagem que transmitimos, ou, a impressão que causamos. O grande problema, é que, muitas vezes, não temos a oportunidade de nos fazer conhecer. Estamos sempre causando uma impressão e repassando alguma mensagem verbal ou não verbal. Estamos sempre dizendo alguma coisa, mesmo quando não queremos.

As pessoas estão sempre formando conceitos e opiniões a respeito do que vêem e sentem. Normalmente este processo ocorre de forma involuntária. As experiências que passamos . boas ou ruins . ficam armazenadas em nossa mente (psique: soma dos conteúdos consciente + inconsciente). Quando ocorre um primeiro contato com alguém, associamos esta experiência a outras já vividas, estabelecendo uma espécie de conexão: resgatando a sensação já experimentada, somada às nossas crenças, valores e à nossa própria personalidade, formando a dita “primeira impressão”. Podemos, então, concluir que nossas chances de causar uma boa impressão aumentam consideravelmente se transmitirmos “coisas boas e positivas”.

Mas, como transmitir coisas boas e positivas? Na prática, ninguém consegue ser bom e positivo o tempo todo. O que realmente acabamos por transmitir são os reflexos de nossos comportamentos e atitudes. Alguns cuidados ajudam quando falamos da primeira impressão (vestimenta, cuidados com a higiene, linguajar…), mas esta não deve ser nossa única preocupação, pois de nada vale uma linda embalagem, com conteúdo de péssima qualidade. Ao contrário, causar uma impressão falsa e contraditória só desperta nas pessoas o sentimento de terem sido enganadas.

Dicas e treinamentos que tratam de temas específicos voltados à comunicação, às formas de expressão e ao relacionamento interpessoal, são um bom começo. Porém, para alcançar resultados satisfatórios e consistentes é necessário o auto-conhecimento, estar disposto a mudar, a rever suas atitudes e comportamentos, que são sempre baseados em escolhas. Nós somos responsáveis em permitir ou não nos contagiar por boas ou más influências, pois a todo o momento, estamos fazendo leituras das pessoas que nos cercam e ativando aquele processo de “conexão” com nosso íntimo. É justamente neste momento que devemos focar a atenção: vamos continuar reagindo como sempre, ou podemos fazer escolhas?

A título de exemplo, vamos nos concentrar no ambiente profissional. Você certamente conhece alguma história, ou mesmo, já se deparou com um chefe que não o suporta, não é mesmo?! Provavelmente se sentiu injustiçado (e talvez tenha sido mesmo) e quanto mais o chefe implicava com você, mais a antipatia crescia. Qualquer um está sujeito a este tipo de situação, que, infelizmente pode trazer conseqüências nada agradáveis. É horrível trabalhar com um clima ruim, principalmente se a maior fonte deste mal-estar for seu chefe, que pode, nos casos mais extremos, até mesmo fazer com que você perca o emprego.

Existem vários fatores que podem ter levado a este tipo de situação e, acredite em mim, a possibilidade de tudo isto ter começado com a aquela .primeira impressão. negativa é real. O grande problema é que quase sempre .a recíproca é verdadeira., ou seja, é comum não termos afinidade com quem teve uma má impressão nossa. Antipatia gera antipatia e o que pode ter começado sem um motivo real, sem fundamento (racional), acaba se tornando um problema concreto.

Se você está enfrentando este tipo de situação, tenha calma! Nem tudo está perdido! E, talvez, a situação não seja tão ruim quanto você imagina. Minha sugestão é: peça uma trégua. Tome a iniciativa de quebrar este .padrão.. Deixe as .armas., o .preconceito. e tudo de ruim que tenha acontecido para trás. Tente se concentrar nas coisas positivas que esta pessoa tem (se você procurar bem, vai encontrar). Identifique as qualidades da pessoa e as valorize. Tenha uma conversa franca, aberta e objetiva. Não se trata de .puxar o saco. (no caso desta pessoa ser seu chefe), trata-se realmente de uma trégua, afinal, ninguém ganha nada com um clima pesado e negativo. É possível que esta pessoa resista no começo, que não acredite em você e que tenha dificuldade em deixar as coisas desagradáveis para trás.

Porém, seja persistente! Continue valorizando os pontos positivos, afinal, não podemos ter resultados diferentes, agindo sempre da mesma forma. É preciso nos manter abertos às mudanças e muito dispostos a enfrentá-las para continuar crescendo como indivíduo e como profissional.

Faça uma reflexão sobre suas atitudes e comportamentos, principalmente quando a situação é .desagradável.. Será que você age de maneira apropriada, ou será que simplesmente reage? Concordo que realmente é difícil lidar de maneira construtiva com nossas frustrações, mas não podemos ignorar a questão e sempre agir como vítima, como se somente as outras pessoas tivessem defeitos.

Não tenha a pretensão de se tornar perfeito. Procure simplesmente identificar seus .defeitos., .seus pontos fracos., para poder lidar um pouco melhor com eles. Acredite, se você conseguir! Dará um grande passo e terá resultados satisfatórios. Vai ter a oportunidade de causar uma melhor primeira impressão e de perceber o mundo e as pessoas de maneira mais agradável e positiva.

Segue alguns conceitos sobre responsabilidade social, voluntariado, terceiro setor..

Terceiro Setor

É o espaço institucional que abriga ações de caráter privado, associativo e voluntarista que são voltadas para a geração de bens de consumo coletivo, sem que haja qualquer tipo de apropriação particular de excedentes econômicos que sejam gerados nesse processo.

Marketing Relacionado a Causas (MRC)

É o grande diferencial para as organizações se relacionarem com os seus consumidores na conquista de mercado e aumento de produtividade ,  passando a ser percebida como uma empresa cidadã, amiga, engajada culturalmente, patriótica e ecológica. Portanto, é possibilitar a criação de um canal de comunicação diferente daquele que o consumidor sabe que, se alguém está falando com ele, é porque há algum interesse imediato.

Responsabilidade Social Empresarial (RSE)

Conceito intimamente ligado ao efetivo papel da organização. Significa prestar os serviços a que se propõe com competência, qualidade e ética, respeitar os clientes, o meio ambiente, cumprir seus deveres e exigir seus direitos perante o Estado, ser um bom credor e devedor, enfim, desempenhar ativa e passivamente seu papel social sem sobrepujar interesses em detrimento de outros São todos os problemas ocasionados pela má gestão social das ações da empresa e pelo péssimo gerenciamento de suas relações com seus diversos públicos-alvo.

Investimento Social Privado(ISP)

Definido como a alocação voluntária de recursos humanos, técnicos, materiais e financeiros por parte da empresa, para benefício público, de forma planejada.

Filantropia Empresarial

É o apoio, em recurso financeiro ou material, dado pela empresa a alguma ação social individual ou a entidades, sem acompanhar o uso deste recurso ou se envolver diretamente no projeto. Trata-se da ação social externa à empresa, tendo como beneficiário principal a comunidade em suas diversas formas: organização não governamental, conselhos comunitários, associações e entidades do terceiro setor, em geral.

Voluntariado

É o pilar principal do Terceiro Setor, tendo o mérito e o dever de zelar para que as ações de melhoria social do poder público e dos empresários cheguem à base de nossa sociedade, despertando as pessoas para os seus direitos como cidadãos e, também, para a força que elas passam a ter quando se organizam. O voluntariado é justamente a ponte entre o poder público, os empresários e o terceiro setor, ajudando a criar parcerias. Quando esses três fatores funcionam juntos, em torno de um objetivo comum, todo o país só terá a ganhar e o desempenho de qualquer programa social será sucesso garantido.

Colaboradores Internos

Funcionários diretos da empresa, com vínculo empregatício.

Stakeholders

Parceiros da organização/empresa que atuam em torno do seu negócio ou atividade. São todas as partes interessadas com as quais a empresa se relaciona (acionistas, clientes, funcionários, fornecedores, comunidades, entidades associativas, sindicatos, concorrentes, meio ambiente e governo).

Cidadania

Vital para a emergência de sociedades sustentáveis, onde seus membros devem conhecer seus direitos, lutar por eles, mobilizar para realizar as mudanças necessárias e participar de decisões que afetam suas vidas e destinos.

Sustentabilidade

É a ferramenta necessária para que o indivíduo possa inovar, transformar e empreender, tornando-o independente e auto-suficiente para atender às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das futuras gerações.

Governança Corporativa

Consiste nas práticas e nos relacionamentos entre os acionistas ou cotistas, conselho de administração, diretoria, auditoria independente e conselho fiscal, com a finalidade de otimizar o desempenho da empresa e facilitar o acesso ao capital. É um novo nome que identifica o sistema de relacionamento entre esse público. A expressão Governança Corporativa é designada para abranger os assuntos relativos ao poder de controle e direção de uma empresa, bem como as diferentes formas e esferas de seu exercício e os diversos interesses que, de alguma maneira, estão ligadas à vida das sociedades comerciais

Comunicação Emresarial

É um instrumento ligado à gestão estratégica das organizações e ao fortalecimento da cidadania para produzir um diálogo correto e permanente com os diferentes públicos (consumidores, comunidades, trabalhadores, sindicatos, governos, clientes, fornecedores e outros nichos). A comunicação empresarial é multidisciplinar e envolve profissionais de todas as áreas, tornando um valioso ativo do patrimônio da empresa.

OSCIP

Sigla que resume Organização da Sociedade Civil de Interesse Público. É hoje, além de um termo de parceria, o marco legal do Terceiro Setor para um Brasil melhor.

Doação

Transferência gratuita, em caráter definitivo, à pessoa física ou jurídica de natureza cultural sem fins lucrativos para a realização de projetos culturais, vedados o uso de publicidade pago à divulgação deste ato.

Patrocínio

Transferência gratuita, em caráter definitivo, à pessoa física ou jurídica de natureza cultural com ou sem fins lucrativos para a realização de projetos culturais, com a finalidade promocional e institucional de publicidade.

Balanço Social

É o instrumento de avaliação do desempenho da empresa no campo da cidadania empresarial, pois demonstra todas as ações sociais desenvolvidas pela empresa naquele período.

AS 8000

É uma norma Internacional (Social Accountability International) que especifica requisitos de Responsabilidade Social a serem observados pela empresa. Ela visa aprimorar o bem estar e as boas condições de trabalho, bem como o desenvolvimento de um sistema de verificação que garanta a contínua conformidade com os padrões estabelecidos pela norma.

Reinaldo Silvestre da Silva Júnior
Extraido de: http://www.xmkt.org.br/glossario/main.ht

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *