Por que Sofremos?

Friedrich Nietzche, filósofo alemão, dizia: “O que não mata deixa mais forte”.

(…)Para a psicologia, resiliência é a capacidade de uma pessoa enfrentar situações adversas, dolorosas e retirar algo de positivo dessas experiências. Em outras palavras, é sairmos de uma situação de crise mais fortalecidos e amadurecidos.

Visto por esse ângulo, o sofrimento é um depurador da alma, do espírito, próprio das vibrações de dor, medo e ira inerentes a esse planeta escola em que todos nós encarnados vivemos. Mas por que sofremos?  Sofremos pela nossa imaturidade -enquanto espíritos em evolução-, pois trazemos maus hábitos e as imperfeições, isto é, traços de personalidade e tendências negativas oriundas de outras encarnações. Portanto, sofremos porque resistimos, relutamos em mudar essas tendências negativas. Sendo assim, o sofrimento é inevitável diante das vicissitudes da vida.  Se aprendemos algo desse sofrimento, extraindo uma lição, evoluímos; porém, se não aprendemos absolutamente nada, podemos dizer que o sofrimento foi em vão. Osvaldo Shimoda

(…) Será que, se soubermos como chegar à infelicidade, esse processo pode nos facilitar para chegarmos à felicidade? Pois bem, aqui esta o “Decálogo da Infelicidade”. Se, ao ler a relação abaixo, você constatar que mais de cinco dos itens fazem parte da sua vida e/ou personalidade, então está na hora de mudar porque quando a infelicidade se “cronifica” fica muito mais difícil de curar.

1 – Acredite na sorte e espere por ela.

2 – Seja impaciente com tudo.

3 – Compare-se com os outros.

4 – Seja um invejoso destrutivo.

5 – Reclame de tudo.

6 – Julgue tudo e todos.

7 – Ande com gente infeliz e negativa.

8 – Desconfie de tudo e de todos.

9 – Considere-se superior.

10 – Não tenha sonhos, não acredite no futuro, não tenha esperança.

Pareceu-lhe estranho ler um decálogo tão negativo? Parecia como se tivesse vendo o relógio mostrando as horas da direita para a esquerda? Como se a Terra não tivesse gravidade? Como uma bússola sem norte? Que bom! Então você é um sério candidato à felicidade. Faça agora mesmo seu decálogo da felicidade, o deixe em um lugar bem visível para você e compartilhe com a gente aqui no blog, pois os mapas, as bússolas e a gravidade são para serem usados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *