Qualquer Um Pode Criar: É Só

Em seu livro “Que crise é essa” o consultor Marco Aurélio Ferreira Vianna nos dá uma receita criativa para enfrentarmos uma crise: é só cortarmos o “S” da palavra crise. Em realidade, a evolução dos sistemas vivos e sociais, incluindo os seres humanos e as organizações, só acontece através da superação de gaps entre uma situação atual indesejada ou ultrapassada e uma situação futura desejada, ou seja, um objetivo. Essas situações que representam pontos de ruptura na trajetória da vida são superadas através de uma palavra de ordem: CRIE! Crie a situação evolutiva almejada, crie as condições para a superação dos gaps evolutivos.
Mas idéias criativas não surgem do NADA. Criar idéias para antever oportunidade, resolver problemas e superar limites não são frutos de “pessoas diferentes” bafejadas por dons especiais de genialidade criativa.
Idéias criativas surgem através da conjugação de um repertório de atributos individuais desenvolvidos pelas próprias pessoas criativas com outros atributos facilitadores ou catalisadores provenientes dos vários ambientes que cercam a vida dessas pessoas – ambiente familiar, escolar, social, profissional etc….
A seguir, ao mesmo tempo em que alinhamos alguns desses atributos mais relevantes, pretendemos proporcionar ao leitor a oportunidade de fazer um auto-diagnóstico de sua personalidade criativa e de fazer um balanço do potencial de criatividade e inovação do seu ambiente de trabalho.
Atributos individuais ligados à postura criativa / inovadora:
Flexibilidade para mudar e aceitar o novo.
Abertura e prontidão para intuir coisas e aproveitar-se das “coincidências” ou sincronicidades.
Capacidade para suspender temporariamente o juízo crítico.
Tolerância consigo mesmo e com os outros (sintonia intra e interpessoal)
Capacidade para se auto-motivar e curtir o que se faz.
Disciplina e determinação na consecução de metas.
Neutralidade adulta perante a autoridade e as coisas instituídas.
Riqueza comunicacional – saber ouvir e desenvoltura na utilização de códigos verbais e não verbais.
Descontração, informalidade e senso de humor.
Tolerância com ambigüidades e incertezas.
Podemos acrescentar um pano de fundo para tudo isso que é a auto-estima e a auto-confiança.
Quanto às características de um ambiente organizacional criativo e inovador, elas dependem de 3 fatores básicos: do clima e cultura da organização em relação à criatividade e inovação, de um sistema de gestão e processamento das idéias surgidas em todos os níveis e da postura dos diretores e do quadro gerencial atuando como mentores da potencialidade criativa dos funcionários e como empreendedores compromissados com a implantação das idéias geradas internamente e com a introdução de inovações provenientes do ambiente externo.
Para que você possa fazer um diagnóstico do seu ambiente de trabalho responda honestamente às questões a seguir:
• Com que importância criatividade e inovação estão contempladas nas definições estratégicas da organização?
• clima da organização está preparado para a geração de idéias?
• Como poder ser avaliado o número de inovações produzidas e implantadas nos últimos 12 meses?
• Com que freqüência a organização realiza exercícios periódicos de criação de idéias no sentido de resolver problemas ou identificar oportunidades?
• Sua organização possui um sistema para o processamento e gestão de idéias?
• Como você avalia o sistema de processamento de idéias quando ao grau de comunicação e alinhamento de novas idéias entre os diversos departamentos da organização?
• Sua organização procura buscar novas idéias e práticas trocando informações com fornecedores, institutos de pesquisa, clientes e organizações em geral?
• Existe um sistema de premiação pela geração de idéias e inovações na organização.
• Os diretores e gerentes mostram-se efetivamente comprometidos com os processos de criatividade na organização?
• Os diretores, gerentes e funcionários são suficientemente treinados nas técnicas criativas para solução de problemas e identificação de oportunidades?
Se os escores alcançados nas duas avaliações forem baixos, não fique desanimado. Existem instrumentos para se treinar e desenvolver o ato criativo através da utilização de certos condicionamentos mentais, de certos hábitos e roteiros que estimulem a intuição, a memória, as inteligências racional e emocional, a imaginação criativa e para desbloquear crenças limitadoras auto-impostas, assim como para se aprender a “criar em equipe” aproveitando a sinergia criativa de um conjunto de pessoas.
Finalmente, gostaríamos de ressaltar um outro benefício intangível de um comportamento criativo e inovador: é o desenvolvimento de uma sólida auto-estima, da auto-confiança, da auto-motivação e do bom relacionamento humano que são subsídios para o desenvolvimento da “loveability” que é a capacidade de ser aceito e amado pelos outros que por sua vez, é um ingrediente indispensável para a ampliação dos potenciais de empregabilidade.

Material retirado dos seminários de Criatividade e Processo Decisório.
Rosseau Leão Castello Filho – Diretor De Qualidade Do Instituto MVC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *