Que Tal Um Pouco De Silêncio?

1

Nos últimos dias, tenho pensado muito no silêncio. Eu não sei você, mas eu tenho convivido cada vez mais com o barulho. É trânsito, buzinas, pessoas falando o tempo todo, etc. Parece que nos acostumamos e até mesmo evitamos o silêncio.

Eu, a exemplo de muitas pessoas, chego em casa e a primeira coisa que faço é ligar a TV ou rádio. Isso quando não faço as duas coisas ao mesmo tempo e ainda ligo o computador para conversar no MSN. Entro no carro e, antes de qualquer coisa, ligo o rádio. Será que temos medo de ficar em silêncio? Talvez, porque isso nos faria pensar mais em nós, em nossos questionamentos e na vida que temos. Também porque vivemos sempre num ritmo acelerado e, obviamente, o silêncio não faz parte de nossa rotina.

Então, decidi experimentar o silêncio. Durante a semana passada, optei por fazer minhas caminhadas no parque sem ouvir música – todos os dias. E, para minha surpresa, foi ótimo. É verdade que tive poucos minutos de silêncio, mas foram bem ricos em termos de reflexões a respeito de minha vida. Além disso, também tive o privilégio de ouvir o canto dos pássaros bem pertinho de mim, escutar o barulho da agitação dos peixes na água, entre outros sons que, quando intercalados com períodos de silêncio, podem se transformar em momentos bastante desestressantes.

Minha experiência foi ótima. E tenho repetido a minha busca pelo silêncio. Seja num parque, quando me deito para dormir ou quando acordo. E, se por acaso você também estiver precisando de um pouco de silêncio, recomendo o seguinte:

• Tire pequenos períodos de seu dia para ficar em silêncio absoluto. Sem música, TV e sem ninguém por perto. Isso é fundamental para nos conhecermos mais e também pensarmos em nossa vida.

• Procure ter mais contato com a natureza. Por mais que ela não ofereça um silêncio contínuo, seus sons são de ótima qualidade. Ajudam a nos inspirar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *