Redescobrir-se

“Por tanto amor, por tanta emoção, a vida me fez assim: Louco ou atroz, manso, ou feroz, eu caçador de mim.”

Antes de iniciar exatamente os aspectos que quero abordar, buscando como inspiração a música do Milton Nascimento, faço um pequeno parêntesis para levantar a seguinte questão: Por que determinadas músicas sem conteúdo algum fazem sucesso hoje em dia?

Rita Lee é que estava certa … “olha só o que aconteceu com a “música” popular brasileira”

Mas voltando ao cerne do texto, pense no quanto, muitas vezes, nos distanciamos de nós mesmos, por mais absurda que esta afirmação possa parecer. Vamos abrindo mão do que somos para agradar um e a outro e aos poucos vamos perdendo o contato com o nosso eu verdadeiro.

E o pior, muitas vezes tudo isso acontece sem que percebamos; e de repente mergulhamos em um poço profundo, e de tão profundo deixamos de enxergar o que se passa a nossa volta. Deixamos a vida passar, sem darmos conta de que estamos parados, simplesmente parados e inertes.

Só não podemos esquecer de uma coisa fundamental: tudo o que acontece em nossas vidas é fruto da nossa permissão, portanto, não podemos culpar nossos pais, maridos, esposas, filhos ou quem quer que seja, por nossos fracassos, pela nossa inércia, pela ausência de nós mesmos.

E aí vem a pergunta: É possível redescobrir-se? É possível vir à tona e enxergar novas possibilidades? … Sim! Só depende de vontade, do querer fazer.

Lembro de um texto do maravilhoso escritor alemão Göethe: “… o que quer que você possa fazer, ou sonha que o possa, faça-o. A coragem contém em si mesma a força e a magia.”

Vá a busca de seus objetivos sem medo. Traga à tona o que de mais verdadeiro você guarda dentro de si.

Lembre-se da música: “… o passado é uma roupa velha que não nos serve mais.”. Olhe para frente com determinação, busque dentro de si a coragem necessária para enfrentar os obstáculos e siga em frente.

Acorde! Mude! Faça! Nossa vida é o reflexo de nossas atitudes e ações; faça diferente para obter resultados diferentes, não se importe se será chamado de louco ou atroz, de manso ou feroz, porque para “ser feliz é fugir às armadilhas da mata escura … é descobrir o que me faz sentir, eu caçador de mim.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *