Regras Essenciais Para Negócios

Hoje divido com vocês um texto que foi escrito por Francis Bacon em 1597.

Em 1597 já tínhamos regras para negócios.

Vejamos:

Regras Essenciais para os Negócios

Mais vale em geral negociar oralmente do que por cartas, e por mediação, de terceiro do que pessoalmente. As cartas são melhores quando se deseja provocar resposta escrita, ou quando podem servir para justificação de um procedimento a tomar depois de escrita a carta. Tratar o assunto pessoalmente é bom, quando a presença impõe respeito, como acontece geralmente perante inferiores. Na escolha dos intermediários, é melhor optar por pessoas francas, que farão aquilo de que foram encarregadas, e que transmitirão fielmente o resultado, do que escolher pessoas hábeis em tirar proveito dos negócios alheios, e que podem alterar a verdade dos factos, apenas para vos dar satisfação. É melhor sondar a pessoa com a qual se trata um negócio, antes de entrar abruptamente no assunto, excepto quando se pretende surpreendê-la com alguma questão especiosa.

 

É melhor tratar com pessoas que ainda têm apetite do que com aquelas que já o perderam. Se se trata com alguém sob condições, o essencial, é o primeiro acto, porque tudo não se pode razoavelmente pedir, excepto se a natureza da coisa for tal que se possa levar avante; ou tal que uma parte possa persuadir a outra que precisará dela em futuro negócio; ou ainda para convencer a ser a mais honesta de todas.
A prática está em descobrir, ou em fazer descobrir, na confidência, na paixão, no improviso, e na necessidade, quando é que o homem tem alguma coisa a fazer, e não pode encontrar para isso razoável pretexto. Se quereis conduzir alguém, deveis conhecer a sua natureza e os seus hábitos, e levá-lo por aí; ou os seus fins, e conduzi-los para eles ou então as suas fraquezas e as suas desvantagens, e dominá-los com elas, ou então as pessoas que se interessam por ele, e governá-lo por elas. Ao tratar com pessoas astuciosas, devemos considerar sempre os seus fins para por eles interpretar os seus ditos, e é bom dizer-lhe poucas coisas, e destas as que eles menos esperam.

Francis Bacon, in ‘Ensaios – Das Negociações’

Fonte: http://www.citador.pt/textos/regras-essenciais-para-os-negocios-francis-bacon

 

Ao analisarmos o texto escrito há vários séculos atrás, pouco mudou, não é mesmo?

Ao invés de carta, email.

Ao invés de descobrir por confidência, paixão ou improviso, temos facebook, internet e detetives.

Ao invés de carta, trato direto.

Ao invés de ir direto ao ponto, com todas as cartas, observação.

Temos muito a aprender com a história, pois desde que nascemos, negociamos.

Negociamos com nossos pais, professores, amigos. Depois com namoradas, mulheres e filhos. Negociamos por produtos e serviços.

Negociamos tudo. E quando aprendemos que devemos negociar na vida, aprendemos que podemos ser e ter mais do que temos.

Aprenda as regras do texto, aprenda que a tecnologia não substitui o olho no olho, aprenda a valorizar o tempo das pessoas e o seu tempo.

Aprenda. Negocie. Viva.

O sucesso chega a quem está preparado, lembre-se disto.

Gustavo Rocha-GestãoAdvBr CEO – Consultancy on Strategic Management and Technology-Bruke Investimentos CEO – Business, Valuation, M&A, Opportunities, Market Business and more.Web: www.gestao.adv.br | www.bruke.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *