Rotina, Visão E Decisão

Para muitas pessoas a rotina é algo importante, algo que traz segurança, algo que faz com que os dias sejam melhores.

Acontece que esta rotina as vezes é preenchida com as mesmas pessoas, os mesmos problemas.

Enquanto procuramos encontrar amores que nos façam bem, no ambiente de trabalho, nem sempre conseguimos conviver com colegas que nos fazem bem.

Quando as relações profissionais não estão a contento, muitas vezes começam os debates, discussões, conversas de corredor, intrigas e por aí a fora. Isto impacta na sua produtividade, da mesma forma que impacta na empresa como um todo.

Um dos maiores problemas disto, além da convivência – óbvio, é que ambas as partes se acostumam com as brigas e levam isto como se fosse normal.

Martha Medeiros tem um excelente texto neste sentido:

“Certos namorados brigam dia sim, dia não. Na sexta se amam, no sábado se odeiam, no domingo fazem as pazes, na segunda prometem nunca mais se ver. São amores movido à adrenalina, que rendem bons versos e letras de música. Muito destes casais conseguem chegar ao altar e continuam entre tapas e beijos até as bodas de ouro. Brigam e voltam tantas, mas tantas vezes, que na verdade nunca chegam a se separar. Deixe que digam, que pensem, que falem. O amor é lindo.”  – Martha Medeiros.

Na vida sentimental até pode ser lindo e ser eficiente (embora tenha minhas críticas a respeito). Contudo, na vida profissional é inaceitável.

Ao proceder de maneira rotineira nestas celeumas, falta visão aos envolvidos de que a empresa necessita deles na integridade e não nas picuinhas que ambos estão envolvidos.

Falta também a ambos uma decisão: Se resolvem, ou trocam de setor, procuram outras oportunidades e por aí vai.

Fugir desta decisão é prejudicial não apenas a carreira: É prejudicial a saúde do colaborador!

E se o colaborador não consegue resolver, o líder deve intervir e resolver. Não é aceitável a falta de decisão.

Enfim, cuidado com a rotina, amplie a sua visão e decida se algo realmente está lhe incomodando. Trabalho não é prisão e convivência é regra básica de humanidade.

Artigo escrito por Gustavo Rocha- Sócio da GestãoAdvBr – Consultoria em Gestão e Tecnologia Estratégicas – www.gestao.adv.br |
Contato integrado: gustavo@gestao.adv.br [Email, Skype, Gtalk, Twitter, LinkedIn, Facebook]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *