Ser Humano, Fera Domesticada

2

O “ser humano”, na sua natureza intima é uma fera domesticada é sempre inimigo de seu semelhante, e as vezes de si mesmo. A intolerância pelos erros e defeitos alheios denota sempre um vício de caráter.

O nosso “planeta terra” é uma grande escola onde os mestres são todos os elementos que compõe a natureza irracional e racional da qual faz parte o ser humano. Entretanto, o homem não está conseguindo aprender, com estes mestres.

A vida agitada, a ansiedade faz o ser humano entrar em conflito, daí aparecem às doenças.

O ser humano está com medo de enfrentar as belezas da vida vivendo em uma sociedade onde se ocultam  os maiores crimes,o jogo, a droga, escrúpulos que abafam leis, abuso do poder, hipocrisia, corrupção, que faz perder a moral  causando problemas a outros seres humanos que tentam viver corretamente.

A nossa sociedade é mentirosa, vive uma vida de falsas aparências que além de causar

sentimento de culpa, provoca sérias doenças física e mentais.

Mas existe “o remédio”, e somos nós, vamos  fórmula:

1.  Procure ser equilibrado, integro e justo.

2.  Não se perca na ”vagabundagem de pensamentos negativos”.

3.  Não procure defeitos alheios, cuide dos seus.

4.  Nunca perca a oportunidade de ser útil para quem quer que seja.

5.  Entenda que ninguém é ruim. Todo o ser humano tem seu lado bom, positivo e virtuoso, e um ponto fraco.

Se olharmos uma fruta podre, já desgastada pelos vermes, podemos encontrar

partes a  aproveitáveis. Ninguém é perfeito.

6.  Reflita na grandiosidade da existência que nos foi dada, nascemos para ter uma vida calma como as águas de um lago límpido para alcançarmos o fim que nos foi proposto. Não entendo porque nos tornamos infelizes e ficamos constantemente buscando a felicidade por caminhos muitas vezes incertos.

7.   Faça sua auto análise (olhe para dentro de si), assim como se fosse uma  auto inspeção interna, e pese com precisão na sua balança da sinceridade as boas e as más ações praticadas durante o dia.

Irá verificar por este procedimento quantas mágoas, quantas revoltas você guarda dentro de si. E se após esta auto análise você não se modificar estas mágoas e revoltas acumuladas se transfomarão em doenças.

Feliz é aquele que pode ver o  seu interior, passear nas regiões desconhecida de sua mente espargindo luz sobre os contaminantes responsáveis por suas esquisitices.

Eu também não sou perfeito, e desejo compartilhar este exercício de evolução com os senhores.

Cordiais Saudações,

Darcio Calligaris – É Farmacêutico-Bioquímico e professor de Farmacotécnica Industrial e supervisor do laboratório semi-industrial da Universidade Camilo Castelo Branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *