Tsunami Financeiro

É imprescindível ao administrador financeiro conhecer, profundamente, como funciona este mercado. Esta realidade ficou comprovada através da atual crise mundial que está abalando a vida de todos os habitantes economicamente ativos do planeta e que obrigou o governo dos Estados Unidos a criar um pacote de ajuda econômica em torno de US $ 800 bilhões de dólares, na tentativa de evitar a “quebradeira” dos grandes bancos e corretores de imóveis daquele país.

Infelizmente o Brasil não está livre desta situação incomoda, e corre sérios riscos diante da crise por que passa o mundo das finanças. Neste contexto de difíceis previsões, as empresas vêem seu risco operacional e financeiro aumentarem de uma forma quase que incontrolável. Por outro lado, a agência de classificação de riscos, Fitch Rating, avaliou que o Brasil “se sente confortável, no curto prazo, no sentido de que as autoridades brasileiras implementaram uma efetiva rede de proteção, que dará suporte à liquidez, de tal forma que não é esperado que um banco não honre suas obrigações financeiras, nas próximas semanas”.

Geralmente os administradores, particularmente os voltados para o segmento das finanças, precisam, cada vez mais, estudar e se dedicar ao conhecimento do que acontece no mercado financeiro. A modernização e a educação contínua no momento atual é de grande urgência para todos os administradores, porém para os executivos que atuam em finanças, tal fato é de notória emergência.

É muito difícil fazer um prognóstico, hoje, sobre qual vai ser a situação da economia mundial pós-crise. Grandes deverão cair – alguns já estão caindo – possivelmente ocorrerá uma profunda transformação no sistema bancário e financeiro mundial e a prudência deverá ser colocada em pauta. Segundo os comentários do economista-chefe, para a América Latina, do Banco Santander, Tomás Malagra, as coisas irão ficar feia após a crise. Acho que o mercado financeiro precisa ser inteiramente revisto pelos olhos do bom senso. É necessário que regras rígidas sejam estabelecidas, porquê o mundo das finanças não será mais o mesmo. Vejo em tudo isso o reflexo do “efeito Bush” com sua administração desastrosa, fomentando guerra nos quatro cantos do planeta. Alberto Peixoto www.albertopeixoto.com.br
reyapeixoto@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *