Você Está Consciente De Seu Papel Na Sociedade Ou Olha Só Para Seu Umbigo?

Imagem 107

Ainda existem muitas pessoas que agem como se o próximo não existisse. Agem como se somente seu interesse e seu bem-estar fosse importante, esquecendo que estão inseridos num contexto e que suas ações, mesmo mínimas, influenciam o Todo. Costumamos dizer que as pessoas que agem dessa forma não levam em conta os sentimentos dos outros. Reconheço que muitas vezes temos reações negativas diante de frustrações e agressões que consideramos injustas e que agimos, portanto, para defender nossos próprios interesses.

Temos, todos nós, emoções de todo tipo que podemos manifestar de formas diferentes, dependendo de nosso caráter, de nossa personalidade e de nossa educação, mas muitas reações dependem principalmente de nossa sensibilidade. Acredito que quando tivemos uma boa educação e aprendemos a respeitar as outras pessoas, podemos refrear as nossas reações mais agressivas. Porém, nem sempre conseguimos e isso acontece porque somos mais ou menos sensíveis e influenciáveis.

A bem da verdade, a nossa suscetibilidade depende das reações do ego que são difíceis de controlar e que requerem um profundo conhecimento de nossa personalidade e uma vontade genuína de melhorar a cada dia. Vejam bem que não estou dizendo que o ego seja algo ruim, mas afirmo certamente que precisamos aprender a controlá-lo! O ego faz parte de nossa personalidade e não podemos dispensá-lo a menos que consigamos alcançar uma evolução espiritual elevada (coisa bem difícil) que conseguiremos ao longo das inúmeras encarnações. Alcançar a evolução espiritual na Consciência Cósmica requer muito trabalho! (…)

Vamos fazer uma suposição: perguntem aos seus amigos para descrevê-los. Cada um deles lhe dará uma descrição diferente porque cada um tem uma forma subjetiva de vê-lo! Até mesmo nós, quando nos olhamos no espelho podemos nos enxergar de forma diferente dependendo de nosso humor, de nosso condicionamento, de nossos conceitos! Um dia nos achamos gordos, outro dia magros, um dia amamos nossos cabelos, noutro dia corremos no cabeleireiro para mudá-los! (…)

A nossa infância é, portanto, determinante para moldar nossa auto-imagem e, consequentemente, os condicionamentos adquiridos durante os primeiros anos de vida, ao longo dos primeiros sete anos irão moldar o nosso ego. O ego, nosso cocheiro, controla nossas reações animais, ou seja, nossos instintos que temos em comum com os animais. Como eles, vivemos nossa vida explorando, conquistando e possuindo tudo aquilo que consideramos necessário para nossa sobrevivência. (…)

Desde já, podemos efetuar pequenas mudanças de comportamento, reciclar nosso lixo, gastar menos água, usar menos o carro, plantar uma árvore ou cultivar uma pequena horta, enfim, agirmos como seres humanos conscientes! Desde já, podemos olhar nosso próximo com mais tolerância, evitando críticas e observações maldosas, podemos deixar de consumir desenfreadamente, deixar de sentir inveja daqueles que possuem mais bens materiais do que nós. Enfim, podemos parar de alimentar somente nosso ego (cocheiro e cavalos incluídos!) reagindo inconscientemente aos estímulos do mundo exterior e escutar com mais atenção a voz do Eu Interior.

Então você, caro leitor, está consciente de seu papel na sociedade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *